Creative Fotografia Top5

15 coisas que aprendi com o “Clube da Luta”

Há quinze anos estreava no cinema a adaptação do meu livro preferido: O Clube Da Luta. É obvio que eu não vi no cinema, há 15 anos eu era muito nova, mas hoje eu queria aproveitar essa data e fazer um post diferente, contando para vocês quinze coisas que eu aprendi, seja com o livro do Chuck Palahniuk ou com o filme do David Fincher, afinal… eu amo os dois!

“É apenas depois de perder tudo que somos livres para fazer qualquer coisa” – Clube da Luta

IMG_7534

1º – A primeira coisa que eu aprendi com Clube da Luta e foi com certeza uma das coisas que me fez mudar muito: Eu não sou um floquinho de neve único e especial. Não, eu realmente não sou e o mundo não vai parar por minha causa, assim como nem tudo que acontece no mundo, só acontece comigo.

2º – A segunda coisa que aprendi com Clube da Luta é mais algo que eu confirmei quando estava lendo. A gente não consegue fazer nada quando está preso, seja a coisas ou ao passado. “É apenas depois de perder tudo que somos livres para fazer qualquer coisa”. Seja qual o tipo de prisão que nos acorrente ou nos prenda, é só depois que perdemos tudo que estamos livres para ser ou fazer o que quisermos. Eu considero que o que eu preciso perder, é o medo.

3º – Apesar de Clube da Luta ser violento e ter personagens batendo uma na cara do outro o livro inteiro, para mim ele é muito sobre lutar com a vida, brigar com o mundo e com tudo o que você é. É simples porque depois de lutar, tudo na sua vida tem menor importância. Depois que você luta com a vida, depois que você vê que pode ser mais do que é, isso fica até mais fácil.

4º – Eu sempre fui uma pessoa que perdeu muita gente, eu tinha 9 anos quando perdi meu pai, e depois da morte dele foi só uma perda atrás da outra e eu achava que okay, a vida ia acabar mesmo então não me importava muito com ela, e simplesmente ia levando. Mas Clube da Luta me fez ver uma verdade: Esta é a minha vida, e ela está acabando um minuto de cada vez. Eu vou ficar parada?

5º A vida nunca é fácil, mas ter noção que sem dor, sem sacrifício, nós não teríamos nada, ajuda muito a superar algumas coisas que acontecem pelo caminho.

6º Nós somos uma geração sem peso nenhum na história. Se contribuirmos para ficar tudo do jeito que está, não fazer alguma diferença, não seremos nada. Ninguém vai lembrar que estivemos aqui.

14359908769_e167cdcfb2_z

7º –  Seu emprego não é o que você é, nem o quanto ganha ou quanto dinheiro tem no banco. Nem o carro que dirige, nem o que tem dentro da sua carteira. Você é uma merda ambulante do mundo. Todo mundo é igual, e é incrível que as vezes a gente precise ler isso em um livro para reformar que nem eu, nem você, é melhor do que ninguém.

8º – Comece uma luta. Prove que você está vivo. Se você não for atrás da sua humanidade, você vira uma estatística. Eu amo tanto essa frase que vou tatuar na pele antes do ano acabar. Se você ficar parado e não fizer absolutamente nada para mostrar que você existe e está vivo, você é apenas mais uma estatística.

9º –  A trilha sonora do The Pixes tocando Where is my mind vai ser a trilha sonora de grandes momentos da sua vida.

10º – É impossível ler apenas um livro do Palahniuk, mas também é impossível ficar em cima do muro com a sua obra, ou você ama. Ou você odeia.

11º – Eu aprendi o caminho do medo, aprendi como ele anda pelo nosso corpo e se torna praticamente paupável.

12º – Não queira ser completo, nada de querer ser perfeito. Pare de tentar controlar tudo e deixe o barco correr. Não é por esse caminho, tentar ser o que é imposto não vai te fazer mais feliz. Só vai te fazer ter mais um espaço vazio dentro de você.

13º – A propaganda fez com que as pessoas buscassem carros e roupas que não precisam. Gerações trabalhando em empregos que odeiam, apenas para que possam comprar coisas que não precisam. É uma coisa que eu aprendi e transformei no meu trabalho. Mostrar para pessoas o que elas precisam e tento ao máximo, mostrar o que elas também não precisam.

IMG_7549

14º – Sempre vai ter um engraçadinho para dizer que você está desobedecendo a 1º e a 2º regra.

15º – Nunca é demais e nunca é tarde para assistir ou ler Clube da Luta.

E você, o que aprendeu com o Clube da Luta? E se você ainda não leu ou assistiu, será que eu consegui te convencer agora?

Baci! ;*
Aproveite para nos seguir nas redes sociais!
Facebook Instagram Twitter Tumblr Google +

You Might Also Like

9 Comments

  • Reply
    Nicolas Ueda
    15 de outubro de 2014 at 21:52

    Bom, eu ainda não li o livro do Palahniuk (mas quero muito). Porém o filme eu já assisti e gosto muito. O meu filme favorito do Fincher é Seven, mas com o Clube da Luta ele me deixou tão instigado e incomodado quanto.

    Além de todas essas características da história que você ressaltou, acho que um conceito que me incomodou bastante, mesmo, foi o fato de que na vida, às vezes não vai dar pra confiar em ninguém, nem em você mesmo, e vai precisar agir com sangue frio.

    Eu fico pirando, pensando como deve ser tenso ser alguém com várias personalidades. Afinal, como saber quem é você de verdade, o que você, ou qual de vocês está pensando, e no que acredita. Até porque ninguém é a mesma pessoa pra sempre.

    Outra ideia legal da história é como a rotina e a vida comum anestesiam a mente. O mundo não é um lugar impassivo, neutro, essa ideia de conforto é só uma ilusão que nós mesmos criamos, pra nos sentir mais seguros, mais acomodados.

    São muitas questões que a obra trás. E mesmo nas camadas mais superficiais, ela também é uma obra muito bem feita, com as críticas ao capitalismo. Deu vontade de assistir de novo o filme escrevendo tudo isso. 🙂

  • Reply
    Bin
    17 de outubro de 2014 at 17:45

    Amo os livros do Chuck P ^ ^ Ameiii muito o post >.<

  • Reply
    Raquel Moritz
    19 de outubro de 2014 at 13:00

    Mas gente, que post foda. AMEI Anna! Muito sincero, muito você e muito incrível. Parabéns ;)))

  • Reply
    Especial Chuck Palahniuk: Resenhas, posts especiais e muito mais! | Pausa para um Café
    15 de fevereiro de 2015 at 21:19

    […] 15 coisas que aprendi com o “Clube da Luta” […]

  • Reply
    Rubyane S.
    4 de abril de 2015 at 04:01

    Depois desse post realmente fiquei com vontade de ler Clube da Luta. Nunca tinha ouvido falar desse livro até conhecer seu blog, Anna. Fiquei bem curiosa para ler o livro!

    xoxo

  • Reply
    Bruna
    12 de janeiro de 2016 at 22:39

    Gente, jura que Clube da Luta é seu livro favorito? É um dos meus também!

    Também aprendi muito com o livro e concordo principalmente na lição 1.
    Não sou a unica e nem sou especial. Acredite, eu era muito diferente do que sou hoje.
    Devo tudo aos livros <3

  • Reply
    Taís Queres
    30 de setembro de 2016 at 12:53

    Sempre via esse livro naquelas promoções absurdas no Submarino, mas nunca me interessei em lê-lo. Mas por esse post me deu muuuita vontade, parece ser um livro excelente!! Beijos.

    devaneiosdeinverno.blogspot.com.br

  • Reply
    Marlise Charao Pacheco
    17 de dezembro de 2016 at 11:40

    Ana! Dps de ler e digerir esse livro “Clube da Luta “…vamos ver o que levo pra vida. ..pois com o filme…fiquei devendo. .. Que maravilha o poder de revolucionar tem um livro. ..desde que estejamos receptivos! Show tua revelação. ..inspiradora e estimulante para muitos…a procurar conhecer o Chuck!

  • Reply
    Marlise Charao Pacheco
    17 de dezembro de 2016 at 11:46

    Ouvi o áudio literáriocast..
    Show de bola! Sugiro a quem não conhece. .

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.