Acompanhe no youtube
inscreva-se
A importância de Boccaccio e Virgílio para a Divina Comédia de Dante – #LendoDante

A importância de Boccaccio e Virgílio para a Divina Comédia de Dante – #LendoDante

A importância de Boccaccio e Virgílio para a Divina Comédia de Dante – #LendoDante

Hoje vamos falar o porque Bocaccio e Virgílio são importantes pra Divina Comédia e se é a leitura desses poetas nos influencia na leitura da Divina Comédia.

Vamos falar hoje sobre Boccaccio e Virgílio, e sim, essas duas pessoas são importantes para a Divina Comédia. Virgílio antes, Boccaccio Depois… Mas vamos explicar isso direito.

Virgílio foi um poeta romano clássico, autor de três grandes obras da literatura, as Éclogas (ou Bucólicas), as Geórgicas, e a Eneida.

Virgílio teve uma influência ampla e profunda na literatura ocidental, mais notavelmente na Divina Comédia de Dante, em que Virgílio aparece como guia de Dante pelo inferno e purgatório. E é por isso que a Eneida é importante aqui. Dante leu Virgílio, ele se influenciou pela sua escrita e escolheu esse poeta para ser seu guia na Commedia.

Virgílio já era ilustre pelas suas Bucólicas (37 a.C.), um poema pastoril, e Geórgicas (30 a.C.), um poema agrícola. Então, o imperador Augusto encomendou-lhe a composição de um poema épico que cantasse a glória e o poder do Império Romano. Um poema que rivalizasse e quiçá superasse Homero, e também que cantasse, indiretamente, a grandeza de césar Augusto.[1] Assim Virgílio elaborou um trabalho que, além de labor lingüístico e conteúdo poético, é também propaganda política.

img_6898
Virgílio terminou de escrever Eneida em 19 a.C.. A obra estava “completa” mas ainda não estava “pronta” segundo o seu criador. Virgílio gostaria ainda de visitar os lugares que apareciam no poema e revisar os versos dos cantos finais. Mas adoeceu e, às portas da morte, pediu a dois amigos que queimassem a obra por não estar ainda “perfeita”. O grande poema, já conhecido de alguns amigos coevos, não foi destruído – para nossa felicidade e fortuna literária. Sem a epopeia virgiliana, não teríamos por exemplo O Paraíso Perdido, Os Lusíadas, dentre outros grandes clássicos da literatura mundial como a Divina Comédia.

Giovanni Boccaccio (Florença ou Certaldo, 16 de junho de 1313  — Certaldo, 21 de dezembro de 1375) foi um poeta e crítico literário italiano, especializado na obra de Dante Alighieri

Ao ler “A Comédia”, de Dante Alighieri, ficou tão fascinado que a renomeou de “A Divina Comédia“, título com que a obra seria imortalizada. Considerado pelos seus contemporâneos florentinos uma autoridade sobre Dante, o governo da cidade convidou-o, em 1373, a fazer uma leitura pública da Divina Comédia. Se bem que haja poucos registos, crê-se que Boccaccio fez apenas cerca de 55 palestras, pois a doença obrigava-o a interromper a apresentação no Canto XVII do Inferno[2]. Nunca conseguiria terminar o projecto, mas o texto com os seus comentários ficou para a posteridade: Esposizioni sopra la Comedia di Dante. Boccaccio foi autor de uma das primeiras biografias de Dante, o Trattatello in laude di Dante, também conhecido como Vita di Dante.

Epero que vocês gostem e possam aproveitar para conhecer um pouco mais sobre as outras obras do poeta.

CONFIRA AQUI MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O PROJETO #LENDODANTE

Espero que todos vocês nos acompanhem nessa jornada. Espero por vocês!

Aproveite para nos seguir nas redes sociais!

Facebook ☁ Instagram ☁ Twitter ☁ Tumblr ☁ Google +  ☁ Pinterest ☁ Youtube  Blogvin ☁ Flickr

Relacionados

Leave a Comment

Leave A Comment Your email address will not be published

CRÔNICAS

sonhei com você.

Acordei hoje com um sorriso amargo. Sonhar com você está sempre repleto de dualidade, ao mesmo tempo que gosto daquela sensação de proximidade, fico triste pela saudade que bate mais forte depois de uma noite inteira sonhando com você.

Read More