Cidadania.

Cidadania.

Eu sei que é chato. Eu sei que as pessoas estão saturadas deste assunto. Eu sei que você talvez não está nem um pouco afim de discutir política. Mas infelizmente (ou não) é necessário, é IMPORTANTE.

O Brasil sempre sofreu com a situação política. Desde a Colônia, ao imperialismo, a república, a ditadura, a democracia. Em todas as situações dificuldades surgiram, pessoas com intenções escusas chegaram ao poder, mandos e desmandos aconteceram e inúmeros crimes acabaram noticiados. Até um certo tempo atrás nós, o povo, alheio aos governantes éramos condenados a viver sobre leis e regras impostas sem que pudéssemos questionar. Talvez por uma questão hereditária deixada pelo tempo em que fomos colonos de Portugal, talvez pela falta de formação moral e crítica, ou por simplesmente não termos educação suficiente para entender as coisas.

Isto, de certo modo era aceitável na história. No passado. Hoje, temos recursos, temos força, voz e vez, para entender tudo o que se passa no cenário nacional. Mas ainda assim, optamos por ser alheios a tudo isso e deixamo-nos ser governados pelos mesmos sistemas falhos que a muito nos acompanha. Ontem, (dia 03.10) acompanhei uma matéria veiculada em um telejornal de grande emissora, na qual uma pesquisa foi realizada entre os universitários do país. Houve um crescimento da população universitária em 76% nos últimos dez anos. E a maioria esmagadora dos entrevistados deseja realizar alguma mudança para deixar o mundo melhor. O grande problema é que essa mesma maioria esmagadora informou que é alheia a política e não acredita no formato partidário adotado.

Confesso à vocês que a um certo tempo atrás eu faria parte deste pessoal. O tempo de eleições era só mais um aparato no cotidiano brasileiro. Assim como muitos hoje, estava desacreditado nos políticos, por culpa deles mesmos, de uma maioria no caso. Estamos cansados de ver notícias de escândalos  de maracutaias, de roubo, desvio de verba, funcionário fantasma e todos esses derivados da politicagem. Até que chegou um momento em que eu me perguntava o porque disso tudo acontecer. E resolvi parar, pensar e pesquisar. Fui procurar entender o processo político, a história, os partidos os ideais. Entender o processo eleitoral, os votos, os mandatos e a função de cada um. E assim comecei a entender um pouco mais das situações. Mas ainda assim eu mantinha um pé atrás. Pois era uma visão de fora da política.

Então, recentemente tive a oportunidade de me envolver mais a fundo no processo político (motivo pelo qual ando ausente do blog). De encarar e conhecer a política por suas entranhas. E a descoberta foi no mínimo surpreendente. E ainda contei com a sorte de conhecer um político que conseguiu despertar esse interesse adormecido pela política e me tirar daquela alienação marota que a maioria da população se encontra. E depois que você busca entender, e vê com os próprios olhos, você acaba por sentir a importância de toda essa história. Você também vê o lado ruim, mais a fundo do que as pessoas vêem através do jornal e das revistas. E isso acaba por aumentar o seu senso crítico, aumentando o poder de escolha que cada um tem. Eu tive toda essa visão na política alheia a minha zona eleitoral, com pessoas que não influenciam na minha cidade, mas com certeza influenciaram o meu modo de pensar a política.

E é essa a mensagem que eu venho trazer a vocês, leitores deste blog. Eu penso que somos todos capazes e bem formados. Penso que temos um senso de crítica válido de ser pensado e analisado. Eu quero instigar vocês a buscarem o conhecimento, a entenderem o processo e descobrirem a sociedade da qual vocês fazem parte. E assim, descobrir que quem tem o poder pra mudar isso, é você. É você que tem poder pra acabar com as notícias de corrupção. É você que tem o poder de cobrar as mudanças. É você que tem o poder de colocar e de tirar de lá, as pessoas que merecem.

Vamos fazer jus a juventude e aos universitários que no passado foram orgulho da nação, lutando contra a ditadura. Não vamos nos manter alheios ao sofrimento deste país e as vãs promessas que o governam. Vamos resgatar a força que nós temos, o orgulho e fazer da nossa política uma máquina que realmente funcione e traga beneficio para todos.

Então, pense, procure, conheça, investigue. Avalie com bom senso e no domingo, tenha a sua consciência limpa. Vote pensando que este pode ser um país melhor a partir da sua escolha.

PS: Não estou pedindo voto para nenhum candidato, não estou fazendo campanha, não sou contra a favor da politica partidária. Ainda tenho uma opinião em formação e espero que vocês compartilhem desse mesmo ato. O blog é apartidário e não apoia nenhum candidato. Apenas queremos informar e instigar o exercício da cidadania através do voto, para quem sabe termos um Brasil melhor para nossas crianças.

Anna Schermak
Anna Schermak

Criadora do @pausaparaumcafe, social media, formada em marketing, rata de biblioteca, intolerante à lactose e a pessoas de mau humor.

5 comments

Leave a comment
  1. Fernanda Yano

    5 de outubro de 2012 at 13:33

    Muito bom esse post!
    Confesso que no atual momento estou na parcela da população desacreditada, infelizmente.
    Li com toda atenção, pra ser sincera duas vezes o post e conseguiu tirar uma reflexão de mim.
    Realmente vamos fazer a nossa parte!

    • Harlen

      5 de outubro de 2012 at 13:41

      Fico feliz em saber que o efeito foi o esperado, Fernanda! Obrigado pelo comentário.

  2. Amanda Costa

    5 de outubro de 2012 at 16:38

    Ótimo post, realmente. Concordo com boa parte do que você citou, entretanto, não consigo acreditar que a política no Brasil poderá de fato melhorar.. Não consigo. (Dizem que a esperança é a última que morre… não é mesmo? Quem sabe um dia, eu analise a situação de outra forma – e que, os políticos façam jus ao cargo que ocupam). Um beijo.

  3. Mariana

    5 de outubro de 2012 at 18:35

    É um assunto bem importante mesmo. Bom, tenho 16 anos e já vou votar! Na verdade, já faz alguns anos que me interesso por saber pelo menos um pouco sobre política.
    Sei dos problemas do Brasil, mas nunca achei legal críticas o tempo todo! Afinal, temos coisas boas e ruins dentro do país, e não só defeitos como alguns acreditam.
    Enfim, gosto tanto de política e tenho tanta esperança nela (se feita com real determinação e boas intenções) que procurei um curso de faculdade relacionado à isso (Gestão de Políticas Públicas).

  4. Eduardo

    6 de outubro de 2012 at 21:11

    É sempre bom ler um texto como esse, lembrando que cidadania é uma prática cotidiana, não é apenas votar e esquecer.

    Diante da minha experiência pessoal, posso até considerar e considero que os políticos são um grupo desnecessário, mas a política é muito necessária. Em outros termos quero dizer que não precisamos de políticos para fazer o que nós podemos e devemos fazer. A presença deles inclusive nos atrapalha. Eles deveriam se sacrificar por nós, e na verdade nós é que nos sacrificamos por eles.

    Lembro que muitas pessoas conseguiram fazer muita coisa em prol de muitas pessoas sem ser rico, sem ter um cargo, apenas com a cara e a coragem, e inspirando a cooperação de muitos. Lembrem-se de Gandhi ou de Irmã Dulce.

    Mas como é difícil que uma sociedade se organize sem uma especialização de funções, vamos ter que conviver com um sistema em que pessoas assumem cargos e funções políticas. Isto posto, o que temos que fazer é ficar no pé deles, assim como as pessoas ficam enchendo os técnicos de futebol, para que façam o que devem fazer. E que não apenas embolsem o nosso dinheiro sem prestar um serviço decente.

    Democracia é participação. Vimos como uma mobilização como a da Ficha Limpa pode funcionar. Vemos como as redes sociais podem ter um poder de transformar a nossa realidade, como aconteceu no caso da aluna Isadora Faber e muitos outros. Sigamos esses exemplos. Denunciemos. Cobremos. Discutamos os problemas da nossa sociedade. Busquemos soluções. Só assim conseguiremos um País melhor.

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.