Para falar do filme Bomb City (2018) é necessário um breve exercício de respiração e muita calma nessa hora. Assim que as cenas dos créditos terminam, você ainda está vivendo toda a história enquanto a trilha sonora imersiva ecoa, junto de uma impotência exorbitante frente uma sociedade que não hesita em condenar tudo o que é visto como diferente.

Bomb City, como um projeto audiovisual, apresenta uma estética que beira à distopia, sem medo de impor uma atmosfera de extrema tensão. A direção e fotografia sabem exatamente onde querem chegar, e o elenco selecionado não poderia ser outro. As atuações são impecáveis e merecem seu reconhecimento – dado que o filme é baseado numa história real, com pessoas reais.

O filme, dirigido por Jameson Brooks, retrata de forma magistral, os dias que antecederam o cruel assassinato de Brian Deneke, artista, músico, filho, irmão e punk. Pode parecer besteira colocar esse highlight no fato que Deneke era punk, daqueles com skate embaixo do braço e um moicano incrível, mas esse foi o principal motivo para a sua morte precoce. Inclusive, o ator Dave Davies conseguiu honrar a memória do jovem assassinado, mostrando que “brutos também amam” não é apenas um ditado dos tempos das nossas avós.

Considerado uma pessoa muito querida na comunidade underground de Amarillo, Texas, Deneke e sua família ajudavam a cena punk local da forma que podiam. E após sofrer ataques e abusos constantes dos estudantes engomadinhos da escola (os jogadores de futebol americano, conhecidos como “Preps”), Deneke e seus amigos decidem mostrar que essas brigas precisam ter um fim. O que ninguém sabia é que o fim chegaria de modo literal.

Bomb City é um clássico cult instantâneo baseado no caso real do assassinato de Brian Deneke, e joga luz no preconceito que a sociedade tem com tudo o que foge da norma. O filme ganhou 11 prêmios e já está disponível em serviços de streaming como Amazon Prime.

Facebook – Instagram – Twitter – Tumblr – Google +  – Pinterest – Youtube  Blogvin – Flickr