Ah, o Natal…o momento mágico em que o país volta a cantarolar a música da Simone, a polêmica da uva passa volta a rondar as nossas ceias, os panettones nos deixam com a consciência pesada porque saímos da dieta, e finalmente: voltamos àquela empolgação digna da infância, cujos interesses e motivações atendem pelo nome de pre-sen-tes.

Caso você queira – ser gente fina com os migos e – espalhar presentinhos literários por aí, mas não saiba exatamente qual o gênero preferido d@ indivídu@, qual obra que a pessoa quer ler ou já leu e etc, não precisa se preocupar. Existem certos livros que rendem um presente inesquecível, e podem agradar 98% dos leitores. Se liga nessas dicas, anota os nomezinhos e corre pra garantir a felicidade dos migos, parentes, boy/girl magia e etc, amore.

Depois que a moda dos livros de colorir dominou as livrarias, outros tipos de livros interativos também viraram febre: desde o incentivo à escrita de emoções pessoais até mesmo desafiando a rasgar as páginas propositalmente, esses livros até podem render bons presentes por serem algo bem ousado, diferentão, vida loka. Mas deixo bem claro que a ideia não é indicar loucamente esses livros aqui no post, e por um motivo bem simples: não é qualquer leitor que vai curtir a ideia de rasgar, depredar, tacar fogo em um livro. Em muitos casos, o leitor só quer um livro…bem, para ler mesmo.  As dicas aqui serão, basicamente, de livros para ler, à moda “antiga”.

[korra_small_gradient_separator]

Dica número 1: crônicas são puro amor

Sim, querido ser humano. Porque desprezar esse estilo de escrita que é tão gostoso e tranquilo de ler? As crônicas são uma baita aposta, por se tratarem de textos não ficcionais que não dependem tanto do gosto pessoal do leitor presenteado. São aqueles textos que a gente quer ler de noite, antes de dormir, pra sentir um quentinho no coração. Podem ser também uma fonte de inspiração para o dia, quando lidos no período da manhã. Dar um livro de crônicas de presente não é apenas tentar adivinhar o gosto literário do outro, mas entregar uma seleção de conselhos e reflexões que qualquer pessoa pode adaptar à sua própria vivência.

Indico fortemente as coletâneas de crônicas de Luis Fernando Veríssimo e da Martha Medeiros. Veríssimo questiona, com muito humor, situações cômicas ou bizarrinhas que se tornam parte do nosso cotidiano, enquanto Martha reflete sobre a simplicidade da vida e das emoções humanas. No caso de ambos, a leitura traz a sensação de que estamos conversando com um amigo, enquanto refletimos sobre nossas próprias experiências.

Dica número 2: vale investir em poesia

Seguindo na vibe da primeira dica, eu vejo uma semelhança entre a crônica e a poesia: para presentear alguém cujo gosto nós não conhecemos direito, ambas as apostas são mais válidas do que tentar algo ficcional. Me parece mais fácil abrir o coraçãozinho para ler algo diferente quando não se trata de uma ficção complexa e, sim, de um texto delicado, simples e rápido de ler. Ainda mais que após o natal (ou junto com ele) vem as férias, e nesse período é bem melhor ler uma obra leve e com capítulos curtinhos, concordam?

Não sou a Miss Conhecimento no quesito poesia, mas indico aqui algumas obras contemporâneas, de linguagem informal e mensagens enriquecedoras para qualquer tipo de leitor.

  • Poesia com Rapadura”, escrito por Bráulio Bessa: se você assiste o programa da Fátima Bernardes na Globo, com certeza já viu esse fofo por lá. Ele escreve e declama poemas em estilo de cordel, com temáticas variadas e uma sensibilidade única.
  • Tudo Nela Brilha e Queima”, escrito por Ryane Leão: um livro que trata de empoderamento feminino e orgulho negro, com poemas cujas palavras parecem ter sido escolhidas com precisão e perfeição. É uma obra forte e envolvente.
  • Outros Jeitos de Usar a Boca”, escrito por Rupi Kaur: não se acanhe pelo título que pode causar risadinhas entre os “tios do pavê” da sua família, porque esse livro vale a pena ser lido. Com poemas que encontram a delicadeza presente nos momentos complicados da vida, a autora fala sobre amor, trauma, perda, feminilidade e sobrevivência.

Dica número 3: uma boa graphic novel e todo mundo fica feliz

Para quem também não sabe diferenciar DC de Marvel (prazer, eu!), não precisa criar rugas para escolher uma HQ que seja aquele presente que você respeita. O

mundo dos quadrinhos não é feito apenas de heróis, e existem muitas opções fofinhas para agradar qualquer leitor.

  • Soppy, de Phillipa Rice: os desenhos em preto, branco e vermelho são bem simples, mas lindíssimos. Em tirinhas curtas, a autora nos relembra daqueles momentos comuns, do dia a dia, em que um casal demonstra seu amor um ao outro. Recomento demais como um presente para o boy ou girl magia, porque a HQ é basicamente uma declaração de amor em forma de quadrinho.
  • Ninguém Vira Adulto de Verdade” e “Uma Bolota Molenga e Feliz”, ambos de Sarah Andersen: esses quadrinhos são o meu sonho desde que foram lançados, e transmitem exatamente como pensam, como vivem e o que temem os jovens da era do smartphone. Com uma personagem que é uma fofura, a autora coloca nossos dilemas e nossas vontades em cada tirinha, desabafando o quanto queremos assistir Netflix e tomar chocolate quente/café para fugir da vida social que cobra tanto de nós.
  • Como Eu Realmente…”, de Fernanda Nia: siiim, também temos quadrinhos nacionais para indicar. As tirinhas começaram nas redes sociais da autora e já ganharam dois livros. Elas seguem a mesma lógica das de Sarah Andersen, sobre falar do cotidiano encontrando os pontos onde tudo que é comum se torna hilário e até meio bizarro.
  • Ameixa”, de Emma Chichester Clark: aqui vai uma dica para agradar os amantes de doguíneos do seu círculo de amizades, hein! Ameixa é a cachorrinha da autora, e nos conta sobre sua vida, o que pensa das coisas e como vive com seus donos. Os desenhos nessa HQ são lindo demais, e…gente…é uma catiorínea falando! Se isso não rende um presente amorzinho, eu não sei o que mais pode render…

Dica número 4: na dúvida, leva um almanaque

Se você chegou até aqui e ainda está na dúvida, prepare-se para a dica mais segura desse post: al-ma-na-que! Aquele livrão lindo e bem acabado com muitas curiosidades sobre um assunto que o presenteado já gosta de ler sobre. Tem como dar errado?

Existem almanaques sobre tudo e qualquer coisa: esportes, carros, moda, animais, culinária, filmes, personagens de Star Wars, seriados, novelas da Rede Globo, jogos de vídeo game, estilos musicais ou cantores específicos, períodos históricos, áreas de conhecimento como ciência, matemática, religião, política e etc. Basta você conhecer um pouquinho dos gostos de quem quer presentear, ou stalkear um pouquinho as redes sociais d@ indivídu@, e correr para as livrarias ou sebos mais próximos.

Os almanaques mais gerais, naquele estilo “1001 filmes para ver antes de morrer” ou “501 filmes que merecem ser vistos”, são encontrados com facilidade nas livrarias, e são a opção mais rápida para quem se atrasar e decidir comprar o presente lá pelo dia 24 de dezembro. Ah, e caso você não esteja habituado com um livrão desse tipo, saiba que ele reúne informações, imagens e curiosidades em um estilo “de tudo um pouco” sobre determinado assunto. É bem legal.

Dica número 5: para os apaixonados por literatura

Falando ainda em livros no estilo almanaque, tem muita coisa boa direcionada para quem ama não apenas ler, mas saber sobre o quê está lendo. Desde livros que contam sobre o período histórico e social que permeia a criação de determinada obra, até os que indicam obras essenciais na história da literatura mundial, são presentes incríveis pra dar no Natal. Confere aqui comigo algumas indicações:

  • “O Livro da Literatura”, publicado pela Globo Livros. Além de ser um livrão de presença pra fazer um pacote, essa obra apresenta um panorama das obras de destaque da literatura, nos apresentando aos seus autores, ao contexto histórico em que foram escritas e a alguns detalhes interessantes pra conhecer antes de ler a tal obra. Dividido em uma linha do tempo, introduz o leitor às primeiras obras de destaque da humanidade, chegando até o século 21. Enfim, só amor!
  • “1001 Livros Para Ler Antes de Morrer”, organizado por Peter Boxall e publicado pela editora Sextante. Esse é o clássico dos clássicos, quando o assunto é livrão sobre literatura. Obviamente, você pode achar que o livro tal não merecia ser citado como tão importante, ou que tal livro merecia ser citado e nem foi. Mas, como um guia de sugestões de leitura, essa é uma grande dica pra se guiar e sair da zona de conforto.

  • “Guia de Leitura – 100 Autores que Você Precisa Ler”, organizado por Léa Masina e publicado pela editora L&PM. Esse foge um pouquinho do quesito “almanaque”, mas para quem se interessa em conhecer novos autores, é um guia cheio de ótimas dicas para se aventurar literariamente em 2018. Com um resumo da biografia de autores de todas as épocas, o leitor encontra indicações dos livros mais conhecidos e/ou mais necessários de sua criação literária.
  • “Uma Breve História da Literatura”, escrito por John Sutherland e publicado pela editora L&PM. Sim, eu fugi de novo do estilo almanaque, mas se o seu presenteado (ou presenteada) se interessa não apenas por literatura, mas pelos aspectos históricos dela, esse livro vai ser um presentão pra ele (ou ela). A obra faz um apanhado do contexto da produção literária desde os tempos mais antigos da humanidade até a geração do e-book, vulgo hoje em dia.

Dica bônus: não se empolgou com as dicas anteriores?

Você não sabe o gosto literário ou cultural d@ indivídu@? Já stalkeou de tudo quanto foi jeito, mas tudo que descobriu foi que fulaninh@ gosta de ler ou assistir filmes, como boa parte dos seres humanos? Ok, não há motivo para pânico.

Você já ouviu falar no “Livro de Marcar Livros” ou no “Livro de Marcar Filmes”? Pois então, esses são livros com uma proposta bem interessante: marcar as obras que você quer ler ou os filmes que quer assistir, os livros que te emocionaram ou os filmes que te decepcionaram. Tudo isso de uma forma bem criativa, com listinhas e desafios para pensar e se organizar, culturalmente falando. Por serem livrinhos para preencher de acordo com o gosto de cada um, convenhamos que são o presente mais fácil de agradar a maioria dos que já amam ler. Ou assistir filmes, é claro.

Além dessas dicas, o que indico é presentear todo mundo que você ama e incentivá-los a ler ainda mais em 2018. Tem muito presente legal pelas livrarias e sebos, e a gente sabe o quanto é bom receber um livro novo e inesperado, que nos conquista de cara e a gente nunca tinha ouvido falar.

Mas me conta: você já pensou em outras dicas que não estão por aqui? Me conta quais outras indicações que podem render presentes lindíneos nesse Natal. Ah, e antes que eu me esqueça: um bom panetone pra você, e boa sorte com as uvas passas.

APROVEITA AS DICAS PARA FAZER DEDICATÓRIAS EM LIVROS:

Aproveite para nos seguir nas redes sociais!

Facebook Instagram Twitter Tumblr Google +  ? Pinterest Youtube  ?Blogvin Flickr