Olá jovens padawans! Como vão vocês? Pois bem, hoje eu vim trazer a recomendação de duas séries novinhas, recém saídas do forno, que vocês não podem perder. A vantagem de séries novas é que tem poucos episódios pra você ver, assim não rola aquilo de ter que colocar em dia oito temporadas antes de começar a acompanhar, o que é ótimo.

As séries são Hannibal e Da Vinci’s Demons, sendo que cada uma delas está aqui por motivos bem específicos. Vou começar pela segunda, a do Da Vinci, por que quero deixar a minha empolgação descomunal com Hannibal pro final, shall we?

[youtube id=”dsI3cCoUqNs” width=”600″ height=”350″]

Da Vinci’s Demons é uma série de um canal americano que é meio desconhecido por aqui, o Starz. A trama narra uma versão fictícia dos anos mais jovens de Leonardo Da Vinci e o cenário é Florença. De destaque no elenco nós temos Tom Riley, conhecido por sua atuação no teatro, como Da Vinci e Lara Pulver (a Irene Adler de Sherlock).

Aí vocês me perguntam “mas Carol, por que eu PRECISO conhecer essa série. Parece meio méh…”, vou montar uma pequena lista de motivos: os cenários são insanamente bonitos, os atores surpreendem MUITO na atuação, a edição que dá a ideia de como o Leonardo vê o mundo lembra muito a de Sherlock, a série é uma colaboração do Starz com a BBC Worldwide (aliás, a primeira colaboração desde Torchwood: Miracle Day), conta também com gente de ambientação que ajudou a produzir Doctor Who e Torchwood.

Querem mais? O compositor da soundscore da série é o Bear McCreary, responsável pela sonorização de The Walking Dead, The Cape, Battlestar Galactica (série 2004), Caprica e outros. Mais um pouco: o criador da série é David S. Goyer, que é responsável e/ou participou da criação de roteiros como Blade, Batman Begins, The Dark Knigt, Dark Knight Rises, Man of Steel (sim, o que sai esse ano), Jumper. Ele também tem participações na elaboração da storyline de games como Call Of Duty: Black Ops I e II.

Pra fechar a sapateada na cara da sociedade, com apenas dois episódios já lançados a série já teve sua segunda temporada confirmada depois de uma audiência de 2 milhões no piloto, segunda temporada que vai contar com episódios escritos por Jonathan Hickman e Matt Fraction, ambos escritores da Marvel que tem no currículo títulos como Avengers e The Invencible Iron Man.

Pronto, agora que vocês sabem o calibre de quem tá por trás da série eu posso dar a minha opinião de leiga: os episódios são super bem construídos, a parte mais ficcional da trama não tira credibilidade do cenário histórico, os efeitos usados pra representar a visão do Da Vinci são super bem feitos e os diretores fazem uso awesome da câmera lenta. Tirando isso, o cara que faz o Da Vinci é bem bonito. Sério, assistam, só que detalhe: tem cenas safadinhas, tem cenas nojentas e etc, então não recomento para menores de 18!

[youtube id=”lZYtRHLX0hA” width=”600″ height=”350″]

Primeiro: desculpa. Não consegui achar um trailer HD de Hannibal legendado, mas essa série merece e MUITO ser vista na melhor qualidade possível. A história base de Hannibal todo mundo conhece: um psicopata, canibal, sofisticado e inteligentíssimo chamado Hannibal Lecter, é responsável por alguns assassinatos bem nojentos. A partir daí, o agente do FBI Jack Crawford começa a caçada ao tal assassino, aliando-se com Will Graham, que traça perfis mentais e tinha sido responsável por capturar Lecter três anos antes. Essa linha geral é da obra de Thomas Harris, mas a série não segue exatamente isso.

Na série de 13 episódios do canal NBC, a ambientação é mais moderna e com um enfoque, na minha opinião de leiga que não leu o livro do Harris, bem psicológica com toques gráficos belíssimos e ao mesmo tempo assustadores. Hannibal é um psicólogo forense na série, até o presente momento ninguém sabe que ele é o canibal. Jack Crawford é um agente do FBI, e Will Graham é um jovem e perturbado consultor forense que sofre de alguns distúrbios de empatia extrema, que permitem que ele consiga se colocar completamente na mente de outra pessoa, pensar como outra pessoa.

Graham e Crawford de aliam para solucionar uma série de assassinatos, enquanto Lecter passa a ajudar Will a lidar com a experiência de estar no campo, de diariamente se colocar na mente dos assassinos mais diabolicamente criativos dos EUA. Ninguém sabe até o momento que Lecter é o canibal, de maneira que a série se foca na mente perturbada, mas ao mesmo tempo inocente de Will e seu relacionamento com o Dr. Hannibal.

Sobre o gabarito da série: estrelas como Laurance Fishburne (Morfeu de Matrix) e Mads Mikkelsen (Le Chiffre em Cassino Royale) e desenvolvida por Bryan Fuller, de Pushing Daisies. A série atingiu mais de quatro milhões de espectadores no seu piloto. Curiosidade: cada episódio da série tem o nome de um elemento da culinária francesa.
O que eu achei da série: fantástica, belíssima, elegante, assustadora, tensa e digna de cada segundo do meu tempo. Apesar de retratar assassinatos extremamente cruéis em ricos detalhes (e em HD), Hannibal consegue garantir que por mais nojenta que seja a cena, a palheta de cores esteja impecável, o enquadramento seja ideal, mas não clichê.

Os recursos de pós-produção usados pra retratar os momentos em que o Will se coloca na mente dos assassinos são tão bem orquestrados que você consegue até se sentir mal pelo personagem, por ele ter que passar por isso.

Quanto aos atores, os protagonistas masculinos estão dando um show de atuação. Hugh Dancy, responsável pelo papel do Will, consegue transmitir com maestria a sensação de receio, inocência e instabilidade mental de seu personagem. Mikkelsen, que faz o papel de Hannibal, me dá arrepios tanto por seus trejeitos quanto por seu sotaque, tudo no personagem grita perigo, mas um perigo elegante, sutil e cruel.

As moças do elenco não ficam atrás, claro, mas a atuação do Dancy e do Mikkelsen ofuscam bastante as outras atuações (ou eu que não consigo desgrudar os olhos das interações deles).

Que fique claro, Hannibal não é uma série para menores de 18 anos, não é uma série para pessoas com estômago fraco e possivelmente não é uma série que seus pais vão achar ‘normal’ você ver. Ok, essa última é meio exagero, mas têm cenas bastante fortes (um exemplo é o Lecter cortando, preparando e comendo um pulmão), seus pais/parentes/amigos podem achar que você tem problemas por ver essa série. Ignore eles, a série é fantástica e merece ser vista.

É isso pessoal, qual vai ser a escolha de vocês? O universo antigo e produção super gabaritada de Da Vinci’s Demons ou a beleza macabra de Hannibal?

Adendo da Anna: Vamos ter minicast sobre Hannibal indo ao ar toda a terça-feira provavelmente a partir da semana que vem… então fiquem ligados 🙂 

 

Captura de Tela 2017-06-29 às 10.53.35