Talvez você tenha notado, talvez não, mas estive ausente do Pausa para um Café nos últimos meses. A universidade tem me tomado muito tempo, mas minha querida, amada, mãe dos dragões, rainha vermelha, chefa, ou popularmente conhecida como Anna Carolina Schermak, tem se mostrado bem compreensível quanto à isso, podem ama-la mais.

Resolvi voltar a escrever, com este texto leve, por causa da recente alimentadora de hypes, a E3. Pessoalmente, tenho um histórico meio complicado com a Eletronic Entertainment Expo. Fico bem excitado com as semanas que antecedem o evento, mas quando estou acompanhando (seja com tempo para assistir as conferências, acompanhar os amigos e sites especializados no twitter ou guardando todos os vídeos para ver depois no youtube) começo a automaticamente baixar minhas expectativas por causa de várias coisas que percebo de errado na indústria, mas vamos tocar nisso em futuros artigos.

Hoje, eu só gostaria de falar brevemente sobre as coisas que me chamaram atenção nessa semana mágica para os jogadores de todo o mundo. Vou separar os assuntos por tópicos, pois acho mais organizado, me julguem.

Bloodborne (antigo Project Beast)

Sendo um grande fã da série Souls, esse aqui é quase clichê para os que acompanham meus artigos no Pausa. Trailers em CG geralmente não mexem muito comigo, acho bonito e bem feito, mas é difícil lembrar de muitos que me fizeram sair “WOW, just, WOOOOW”, mas o de Bloodborne fez exatamente isso. Consegui ver claramente o tom sombrio e ameaçador que o jogo terá apenas por esse CG, mas a surpresa veio depois, quando assisti ao trailer vazado de gameplay, cuja minha reação foi simples e direta: eu finalmente consigo sentir a necessidade de um PS4. Ah, só para deixar registrado também, a trilha sonora do trailer é linda, maravilhosa, épica e eu quero!

Alien Isolation

Um novo trailer, algumas entrevistas e a expectativa estourando os limites do universo pra esse survival horror. Com o que temos até agora, podemos perceber que o game é tudo que Colonial Marines deveria ter sido, há uma admirável atenção a detalhes (os efeitos de fita cassete estão lindos) e a inteligência artificial de um dos mais letais predadores da ficção parece ser de outro nível. Estou tentando controlar minha ansiedade, porque sei que a franquia Alien esta bem ruim das pernas nos últimos anos, mas meus instintos adquiridos depois de anos de sobrevivência nos mais variados cenários de terror nos games me dizem para acreditar que esse pode ser o próximo jogo a me tirar noites de sono.

Sony

A cultura dos videogames cresceu muito em pouco tempo. Fiquei sabendo que a Sony transmitiu sua conferência pra mais de 40 salas de cinema ao redor dos EUA. É incrível imaginar que a uma geração atrás, a conferência era tão chata ao ponto de ser uma hora e meia só de slides no power point. Mas quanto aos jogos, Uncharted 4 é um motivo pra ter um PS4 também, porém, por mais que a qualidade visual reflita o poder de processamento gráfico do console, não teve nada que chamasse tanto a atenção. The Order 1886 continua bem no meu conceito, gostei mesmo da premissa diferente, mas ainda tenho medo de que o game acabe sendo um shooter genérico, outra tentativa de Gears of War. LittleBigPlanet 3 pra que?

 

FarCry 4

Eu realmente gostei de jogar Far Cry 3, me diverti bastante (apesar de não ter curtido muito ser o responsável por tanta morte de animais pra ganhos próprios), mas não consigo diferenciar muito esse novo título do citado acima. Um vilão que recebe mais holofotes que o próprio protagonista? Check. Invadir do jeito que achar melhor um outpost para ganhar controle de uma determinada região? Check. Usar os animais como estratégia para abater os inimigos? Check. Ok, vocês não vão mexer em time que ta ganhando, mas tomara que o produto final não fique parecendo mais do mesmo com gráficos bonitos.

Batman Arkham Knight

Nunca gostei muito do Batman, principalmente depois que comecei a cursar Psicologia e percebi que ele deveria estar trancado em Arkham junto com todos os outros vilões doentes de Gotham. Contudo, os jogos da série Arkham (esqueça que o Origins existe) são grandes exemplos de como fazer um jogo incrível. Estou ansioso pois este título é produzido pelo mesmo time responsável por Asylum e City e promete ser o fim dessa história do Homem Morcego. O jogo esta cheio de detalhes incríveis, o Batmóvel parece fodástico e a ARMADURA do Battrauma é um tapa na cara do povo que gosta tanto de gritar que o Bruce Wayne não precisa de um brinquedinho tecnológico como seu colega de riquezas, Tony Stark.

Mortal Kombat X

Anna e eu queremos, precisamos, é necessário para que possamos viver felizes. Sem brincadeiras agora, o jogo esta lindo e MK, com seu reboot, provou que um game de luta pode sim ter uma boa história sem depender apenas de pancadaria. Sou fã desde a época que gastava todo dinheiro que ganhava em fichas pro fliperama do primeiro MK, muito, muitíssimo ansioso por esse título.

Dragon Age Inquisition

Nunca liguei pra Dragon Age porque acho um jogo mal feito, portanto só estou colocando aqui por causa dos dragões do trailer. Eu amo dragões .-.

Doom 4

O rei dos FPS esta voltando! Só de saber disso eu já fico feliz.

The Evil Within

O retorno do mestre Mikami ao cenário do survival horror parece uma mistura das suas maiores obras (Resident Evil 1 e 4) porém com uma pegada bem mais nova, buscando o mérito próprio. Estou de olho.

Mirror’s Edge 2

Ainda tenho fé na Faith. Gostei do primeiro game, porém entendo como suas ideias inovadoras foram mal executadas. Esse novo título parece receber muito carinho dos seus desenvolvedores e eu com certeza vou amar joga-lo com o Oculus Rift.

Mass Effect 4

Continuação? Tudo novo? Dizem que não vão ignorar (completamente) a primeira trilogia. Pouco se sabe sobre o novo título do melhor RPG de ficção científica da atualidade, mas eu gostei muito do trailer conceitual. Eu realmente curto ver a perspectiva da equipe que esta criando o game, acho melhor do que apenas mostrar 2 minutos de CG e não dizer mais nada. No aguardo.

Sunset Overdrive

Achei bem legal, gosto muito quando as produtoras investem em jogos malucos como esse. Esperando a Microsoft ser Microsoft e, depois de um ano ou dois, lançar pra PC.

The Witcher 3 Wild Hunt

Nunca gostei da franquia por vários motivos, mas realmente me interessei por Wild Hunt. Parece realmente ter um mundo vivo e com eventos randômicos, além dos visuais estarem incríveis. Mas pra mim, os RPGs ainda tem que achar o perfeito balanço entre a ambientação e a variedade de Elder Scrolls e a mecânica e o jeito de contar história de Dark Souls. Talvez seja você, Wild Hunt, talvez não.

Nintendo

Queria sentir o hype do novo Zelda, mas não tem muito pra isso no breve vídeo da conferência. Queria sentir o hype de Smash Bros, mas não acho que justifica a compra de um Wii U. Até consigo sentir o hype de Bayonetta 2, mas me dá a impressão de ser um game que vou jogar e me divertir muito, só que apenas uma vez. Meu maior hype para o Wii U, de fato, foi o anúncio, antes da E3, que a Tecmo esta trabalhando em um novo Fatal Frame pra ele.

p>

2015

E3 2014 só que não. Grande parte dos jogos dessa lista ficou pra 2015. Então ok, 2015 ta cheio de jogo legal e ainda tem Vingadores A Era de Ultron nos cinemas, que a universidade tenha piedade e me dê um pouco mais de tempo (eu tenho direito de sonhar).