Acompanhe no youtube
inscreva-se
Filme: Para Minha Amada Morta, de Aly Muritiba

Filme: Para Minha Amada Morta, de Aly Muritiba

Filme: Para Minha Amada Morta, de Aly Muritiba

Recebi na semana passada um email da Genco Assessoria e Comunicação apresentando o filme “Para Minha Amada Morta” e me convidando a assistir. Além do título, algo me chamou muito atenção: O filme é de um diretor Aly Muritiba, um dos idealizadores e diretores artísticos do OLHAR DE CINEMA, Festival Internacional de Curitiba.

Nas palavras do diretor Aly Muritiba Solidão, melancolia, ciúme, sentimentos universais e atemporais, palavras fundamentais para se abarcar a natureza humana em sua totalidade, eis alguns dos temas tratados no drama psicológico Para minha amada morta.”

Essas palavras descrevem bem o filme que começa com um ar solitário e ganha uma tensão sufocante cada vez mais próximo do fim. Em uma narrativa que conta a história de Fernando, um homem de trinta e poucos anos que precisa levar a vida adiante, cuidando do filho pequeno após a morta de sua esposa.

No começo do filme a falta de trilha sonora nós segura pela mão para mostrar a tristeza do homem que todas as noites arruma as coisas de sua amada morta e aprende a lidar com o adeus  mas um dia ele encontra uma fita VHS que mudará tudo.

 

O longa foi premiado no 48º Festival de Brasília nas categorias de melhor direção; melhor ator coadjuvante, para Lourinelson Vladmir; melhor atriz coadjuvante, para Giuly Biancato; melhor direção de arte, para Monica Palazzo, e melhor montagem, para João Menna Barreto. Além de ser eleito como melhor filme pelo júri da crítica.

E é claro que o filme não podia decepcionar, você percebe no desenvolvimento da história a mudança de personalidade que acontece de forma sábia nos personagens, sem fazê-los perder sua essência. No fundo eles continuam os mesmos, mas aqueles acontecimentos vão mostrando seus melhores e piores lados. O roteiro ousa em fazer quem assiste o filme duvidar da índole do protagonista, que para mim é o destaque do filme.

Fernando Alves Pinto, que já apareceu em filmes como “Nosso Lar” e “Dois Coelhos”, mostra seu melhor lado. Ele está a vontade com o personagem e abraça a causa daquele marido com o coração em frangalhos. Sua atuação chega ao ápice na cena onde o embate final acontece. Sua elegância em trabalhar o terror psicológico é feita com sabedoria e mostra como Aly Muritiba conseguiu conduzir o filme com sensibilidade, mesmo nos momentos mais cruéis.

Se você é de Curitiba, vai identificar várias locações. Eu me surpreendi ao ver a escola onde estudei todo o ginásio em duas cenas do filme.

Aprendi com “Para Minha Amada Morta” que existem muitas coisas que fazemos por amor, mas a maioria delas, e mesmo aquelas que no início parecem sem fundamento, aos poucos se tornam legítimas e se justificam com apenas uma frase.

Sobre o diretor:

Aly Muritiba: Roteirista, produtor e diretor cinematográfico, Muritiba já dirigiu 8 curtas metragens, um telefilme e um longa-metragem coletivo, com os quais já conquistou mais de 100 prêmios em festivais de cinema. Suas principais realizações são os curtas A Fábrica (vencedor de mais 60 prêmios em festivais nacionais e internacionais, nominado ao OSCAR 2013), Pátio (vencedor do É Tudo Verdade, e selecionado para a Semana da Crítica do Festival de Cannes), A Gente (vencedor do DOK Leipzig 2013) e Tarântula (selecionado para mostra competitiva do festival de Veneza em 2015).
Seu roteiro de longa metragem Para minha amada morta ganhou o Global Filmaking Award do Sundance Institut em 2013.

o-homem-que-matou-a-minha-amada-morta_t110394_png_290x478_upscale_q90Ficha Técnica:
[Brasil, 2015, 113 min.,drama]
Roteiro e Direção: Aly Muritiba
Elenco: Fernando Alves Pinto, Lourinelson Vladmir, Mayana Neiva, Giuly Biancato, Vinicius Sabbag e Michelle Pucci
Produtores: Antônio Junior, Marisa Merlo, Aly Muritiba
Direção de Arte: Monica Palazzo
Direção de Fotografia: Pablo Baião
Montagem: João Menna Barreto
Trilha Sonora: Ruído por milímetro
Gênero: drama
País: Brasil
Ano: 2015
Duração: 113 minutos
Produzido por: Grafo Audiovisual
Distribuidora: Vitrine Filmes

Bom Filme!

Aproveite para nos seguir nas redes sociais!
Facebook ☁ Instagram ☁ Twitter ☁ Tumblr ☁ Google +  ☁ Pinterest ☁ Youtube  Blogvin ☁ Flickr

Relacionados

3 Comments

  • 2 anos ago

    CARACA, parece um climão bem dark! Me interessei, acho que vou assistir no cinema mesmo :DDD Parabéns a todos os envolvidos <3

    • 2 anos ago

      É muito bom, Quel <3
      Fico muito feliz de ver filmes assim no cinema nacional!

  • […] em tudo. Em todo pequeno detalhe. Eu fiz um post aqui no blog dando destaque para esse filme e você pode ler clicando aqui. Sinopse: Após a morte de sua esposa, o fotógrafo Fernando (Fernando Alves Pinto) torna-se um […]

Leave a Comment

Leave A Comment Your email address will not be published

CRÔNICAS

sonhei com você.

Acordei hoje com um sorriso amargo. Sonhar com você está sempre repleto de dualidade, ao mesmo tempo que gosto daquela sensação de proximidade, fico triste pela saudade que bate mais forte depois de uma noite inteira sonhando com você.

Read More