Acompanhe no youtube
inscreva-se
Jamie Mcguire, Belo Desastre, irmãos Maddox e aquela série de New Adult que a gente gosta e não sabe o motivo

Jamie Mcguire, Belo Desastre, irmãos Maddox e aquela série de New Adult que a gente gosta e não sabe o motivo

Jamie Mcguire, Belo Desastre, irmãos Maddox e aquela série de New Adult que a gente gosta e não sabe o motivo

Quando eu comecei a ler Belo Desastre (logo que lançou a série no Brasil), eu sabia que teria algo no futuro que me incomodaria muito na série. E assim foi, durante muito tempo eu fui fazendo a minha coleção dos livros da Jamie Mcguire na estante, sem necessariamente vir falar aqui no blog sobre eles.

E sabe? isso acontece com muita frequência.

Eu nem sempre falo sobre todos os livros que eu leio no blog. Primeiro por não conseguir, afinal o tempo é curto. Segundo por um motivo simples: tem coisas que a gente não tem opinião. E ESTÁ TUDO BEM COM ISSO. Mas para terminar, em terceiro: tem livros que eu simplesmente prefiro não falar.

Com Belo Desastre (e toda a série dos Irmãos Maddox), foi assim. Eu realmente não sabia se eu tinha tempo para escrever tudo que eu queria sobre a série, eu não sabia se minha opinião era aquela (sim, é normal ter dúvidas sobre a sua opinião e mudar ela com o tempo, está tudo bem com isso), e por último: eu por muito tempo preferi não falar.

Mas a série está acabando (assim acreditamos, por favor não tem mais nenhum irmão perdido por aí pra escrever um livro sobre né? POR FAVOR CHEGA). Mas calma, eu gosto da série. Se é essa a sua preocupação com esse post, eu digo: Eu gosto dos livros da Jamie, e depois de muito tempo processando o sentimento eu sei que não tenho vergonha de dizer isso (afinal, a gente não deve sentir vergonha do que lê, escreve, ouve… enfim esse será um próximo post).

IMG_7236
IMG_7240

Belo Desastre é uma série complicada pois muitas vezes ela faz (e eu sinto que sem querer), um desserviço a muitas mulheres. Durante Belo Desastre inteiro somos incentivadas a amar o ciúme possessivo do Travis, afinal ele é um cara bonito, gente boa e a gente ama o perigo (e se você ama o perigo, amiga… não tem nenhum problema com isso também).

rir na cara do perigo.

Travis não é alguém que eu suportaria namorar por dois minutos, mas na literatura tudo fica mais fácil de ser amado e compreendido. Afinal é romance, nós temos um livro na visão de cada um e um extra sobre o casamento. Mas ainda assim, Belo Desastre cria a imagem de que está tudo bem um cara ser ciumento e violento, se ele te chama de Beija-Flor depois.

Se você não concorda com isso, tudo bem (vamos fazer as pazes?), muitas vezes eu vi que durante os livros do Irmão Maddox a Jamie foi se redimindo de alguns pecados construindo alguns personagens diferentes, retratando situações e fazendo personagens que precisavam mais se curar do que serem curadas por um forte e másculo Maddox (mesmo isso não sendo completamente perfeito).

Mas o que é legal em Belo Desastre, talvez não seja os Maddox. Mas essa coisa de New Adult ser tão desgraçado. Vocês já pararam para pensar na vida dessas pessoas? É tanta morte, destruição, abuso e sacrifícios que aos poucos a gente vai percebendo que ESTÁ TUDO BEM NA REALIDADE. A ficção consegue ser tão dramática e exagerada, que você realmente sabe que está lendo uma ficção (eu espero que sim).

IMG_7245
IMG_7250
IMG_7253

Talvez a gente nunca entenda o real motivo de gostar de Belo Desastre, talvez sejam os músculos dos Maddox, a possibilidade de um “príncipe encantado” com tatuagens e motos, que poderiam muito bem ser o vilão. Talvez esses amores impossíveis que a gente ama acreditar. A possibilidade de largar tudo um dia e encontrar alguém que te complete por inteiro. Existem tantos motivos, principalmente a escrita de Jamie que é envolvente pra caralho.

Eu só queria dizer com esse texto que independente dos New Adults que você lê, se são os Maddox ou qualquer outro, o importante é não sentir vergonha do que você está lendo. A leitura precisa ser prazeirosa e se você lê e fica feliz, vem cá e me dá um abraço, você está fazendo certo.

Mas não esqueça que toda obra de ficção deve e pode ser questionada. Não aceite tudo sem questionar, seja um comportamento ciumento ou violento. Talvez, Travis Maddox não seja um cara tão legal assim na vida real.

Baci ;*

Aproveite para nos seguir nas redes sociais!

Facebook ☁ Instagram ☁ Twitter ☁ Tumblr ☁ Google +  ☁ Pinterest ☁ Youtube  Blogvin ☁ Flickr

1 Comment

  • 10 meses ago

    Eu tenho uma teoria: a gente acaba gostando desse tipo de livro (desse tipo = romances que acabam colocando comportamentos problemáticos como algo romântico, coisa que acabou grudando nos new adults mas não é exclusividade deles) porque a gente sabe que no final, mesmo que seja improvável, de alguma maneira as coisas vão dar certo e o casal vai ser feliz. E também porque a escrita costuma ser bem fluida.

Leave a Comment

Leave A Comment Your email address will not be published

CRÔNICAS

sonhei com você.

Acordei hoje com um sorriso amargo. Sonhar com você está sempre repleto de dualidade, ao mesmo tempo que gosto daquela sensação de proximidade, fico triste pela saudade que bate mais forte depois de uma noite inteira sonhando com você.

Read More