Acompanhe no youtube
inscreva-se

O que achamos de: Procurando Dory

O que achamos de: Procurando Dory

Ao entrar na sala de cinema senti um frio na barriga, não porque sou tão fã assim de Procurando Nemo (2003), mas porque é impossível não sentir um carinho especial e uma certa nostalgia por um dos filmes que marcou a vida das crianças dos anos 2000.

Uma das coisas interessantes do cinema é quando um personagem secundário é tão cativante e se destaca a ponto de ganhar seu próprio longa-metragem, e ah… eu estava louca para saber mais sobre a peixinha azul, que transborda alto astral e tem perda de memória recente. E preciso dizer que isso o filme faz como ninguém, perdoem o trocadilho, mas ele é um mergulho na vida e no passado da personagem e é muitíssimo engraçado assistir tudo pela perspectiva da Dory.

Não vou revelar mais nada do enredo. É isso aí. Quero que quando você assista sinta a mesma coisa que eu ao ir montando um quebra-cabeça e descobrindo toda a história. Assim como no filme original os personagens roubam a cena, eles são tão divertidos e tão bem construídos que é como se você os conhecesse há muito tempo. Sentiu saudades do Marlin e do Nemo? Prepare-se, pois eles estão de volta!

E também prepare o coração para muita emoção, o filme trata de temas como solidão, independência, o fato de ser diferente e as relações familiares de uma maneira bastante profunda. Fiquei pensando em como seria se ele tivesse sido filmado em live action e possuísse todos os elementos de um filme mais adulto, o resultado seria uma obra de drama daquelas típicas do Christopher Nolan. No entanto, as piadas sempre aparecem no momento certo e aliviam a tensão. Percebi que a plateia riu do começo ao fim, não eram risadas de apresentações de stand ups, mas aquelas gargalhadas gostosas e inocentes que vem das crianças.

O roteiro é bem elaborado e percebe-se a preocupação em manter a coerência com tudo que havia sido estabelecido em Procurando Nemo, porém algumas vezes os conflitos e as soluções apresentados acabam ficando meio repetitivos. Embora novas aventuras sejam introduzidas, o problema parece ser sempre o mesmo o que acaba ficando um pouco cansativo.

O ritmo da primeira parte é meio morninho, mas ele esquenta, esquenta… e no final está fervendo. Algumas histórias de personagens novos também são apresentadas, mas o filme termina com tantos outros novos eventos que elas acabam ficando pelo meio do caminho.

No mais, toda a preocupação com os detalhes e com a construção de uma história complexa torna Procurando Dory algo único. Sei que você quer saber se é tão bom quanto o primeiro… e sim! Minhas expectativas foram superadas.

Por isso meu veredito é que você dê uma chance a sua criança interior. Procurando Dory vai te teletransportar de volta a um mundo mágico e familiar em que falar baleiês é totalmente possível!

P.s: Percebi algumas semelhanças com o filme A origem, você também viu algo assim? Diga nos comentários 🙂

Título original Finding Dory
Data de lançamento 30 de junho de 2016 (1h 35min)
Direção: Andrew Stanton, Angus MacLane
Elenco: Ellen DeGeneres, Albert Brooks, Idris Elba mais
Gêneros Animação, Comédia
Nacionalidade Eua
Distribuidor DISNEY / BUENA VISTA
Ano de produção 2016

Aproveite para nos seguir nas redes sociais!

Facebook ☁ Instagram ☁ Twitter ☁ Tumblr ☁ Google +  ☁ Pinterest ☁ Youtube  Blogvin ☁ Flickr

Relacionados

Leave a Comment

Leave A Comment Your email address will not be published

CRÔNICAS

sonhei com você.

Acordei hoje com um sorriso amargo. Sonhar com você está sempre repleto de dualidade, ao mesmo tempo que gosto daquela sensação de proximidade, fico triste pela saudade que bate mais forte depois de uma noite inteira sonhando com você.

Read More