Literatura

[Resenha] Doze Anos de Escravidão de Solomon Northup | @cialetras

10 de março de 2014
capa

Sinopse: O livro que deu origem ao filme vencedor do 71º Globo de Ouro e indicado para o Oscar 2014 em 9 categorias, publicado pela editora Seoman. 12 Anos de Escravidão é um livro de memórias angustiantes sobre um dos períodos mais sombrios da história norte-americana. Ele relata como Solomon Northup, nascido um homem livre em Nova York, foi atraído para Washington, D.C., em 1841, com a promessa de um emprego, e então drogado, espancado e vendido como escravo. Ele passou os doze anos seguintes de sua vida em cativeiro, trabalhando, na maior parte do tempo, em uma plantação de algodão em Louisiana. Após seu resgate, Northup escreveu este registro excepcionalmente vívido e detalhado da vida escrava. Tornou-se um sucesso imediato e, hoje, é reconhecido por sua visão incomum e eloquência, como um dos poucos retratos realmente fiéis da escravidão americana, redigido por alguémtão culto quanto Solomon Northup — uma pessoa que viveu sua vida sob a óptica de uma dupla perspectiva: ter sido tanto um homem livre como um escravo.

“Mais uma vez, assegurei-o de que eu era um homem livre, e insisti para que ele me livrasse daquelas correntes imediatamente. Ele tentou calar-me, como se temesse que minha voz  pudesse ser entreouvida.”

Nunca um livro me tocou tanto. Nunca um livro conseguiu me indignar de uma forma tão absurda com a maldade humana. Eu nunca senti que não conseguiria passar tudo o que o livro é, representa e me fez sentir, como agora. E até antes de começar a resenha realmente eu já digo: “Leiam esse livro”.

IMG_3332

“Doze Anos de Escravidão” é o livro que inspirou o filme homônimo estrelado por Chiwetel Ejiofor e dirigido por Steve McQueen que ganhou o Oscar de Melhor Filme, Melhor Atriz Coadjuvante (Lupita Nyong’o) e Melhor Roteiro Adaptado.

Escrito por Solomon Northup, o livro conta a história deste homem que lutou por sua vida de um jeito que não sei se eu ou você teríamos coragem e suportaríamos. Uma outra época, outras pessoas, outras leis e regras. Mas ao mesmo tempo, uma verdade inquestionável: a maldade do ser humano consegue superar qualquer nível.

IMG_3329

O livro segue o estilo de “O Diário de Anne Frank” e narra a história de Solomon antes e durante os anos de escravidão pelo qual ele é imposto e precisa viver longe de sua vida, liberdade e família.

Solomon é um incrível contador de história. Ele consegue te passar sentimento e ser cativante em uma história que abala as suas estruturas. Ele consegue te contar uma cena detestável para qualquer ser humano com um bom coração de um jeito que te faz derramar lágrimas de revolta. Você quer lutar ao lado dele. Descobrir o que acontece com aquele personagem que ele comentou no começo do livro que só apareceria novamente mais para o final da história quando a justiça se faria presente.

Doze Anos de Escravidão nos leva a encarar nosso coração e mente. Sua narrativa sobre o negro que encontrou sua libertada nos mostra muito sobre as pessoas. Aqui não é como em “Django” de Tarantino, não temos um negro que quer vingança daquela forma. Temos um homem que quer voltar para seus filhos, sua família. Temos alguém que não desiste de sua fé. Que busca por justiça.

IMG_3353

IMG_3349

IMG_3338

Este livro diz muito mais sobre nossa história do que os próprios livros de história. Doze Anos é um daqueles livros que deveriam ser obrigatórios em todas as escolas. Ele ensina as pessoas a serem melhores. A encarar a sua história, o seu passado e a sobreviver com as punhaladas da vida.

Solomon é um herói de verdade. Podem não ser para mim ou para você. Mas ele foi para ele. É incrível como um livro tão antigo ainda consiga tocar eu ou você. Jovens (ou não) que vivem em um mundo tão diferente e ao mesmo tempo, com pessoas que tem uma mente tão parecida com com a de alguns personagens.

IMG_3344

IMG_3340

A minha edição da Pinguim – Companhia das letras não tem orelha, mas vem com “duas opções de capa”. A normal é a vermelha padrão do livro e a segunda é a jacket que vem com o poster do filme para a fácil identificação na livraria. Uma jogada de marketing interessante que ajuda aqueles que querem encontrar o “livro do filme” e que não decepciona os leitores que como eu são chatos e preferem a capa original do livro.

IMG_3326

Edição: 1 | Editora: Penguin Compania | ISBN: 9788563560896 | Ano: 2014 | Páginas: 280 | Tradutor: Caroline Chang

Nota: 5/5

Comprar: Saraiva | Submarino

Solomon Northup era um  americano de Saratoga, Nova York. Ele é conhecido por ter sido raptado em 1841 quando foi seduzido com uma oferta de emprego.

post

You Might Also Like

Publicidade

16 Comments

  • Reply Diego 10 de março de 2014 at 8:23

    Oi, Anna, tudo bem? :)

    Achei a sua resenha SENSACIONAL! Conseguiu resumir tudo o que eu esperava nesse livro ~e me deu ainda mais vontade de comprá-lo haha~
    Sabe que eu adoro esses livros com uma pegada histórica, e concordo contigo quando tu diz que todos deveriam ler, na escola, é um livro pra vida!!! A luta dos negros, a escravidão foi uma coisa tão burra do ser humano, se a gente parar pra pensar foi algo tão inútil! Não levou a nada e só mostrou a ignorância do homem em relação ao próximo, ainda bem que isso mudou com o tempo, ainda há preconceito racial, mas existem leis e isso me deixa feliz :)

    Adorei teu blog, sou da Sociedade :B haha

    Beijos, Diego.

    http://aculpaedovisconde.blogspot.com.br/

    • Reply Anna Schermak 10 de março de 2014 at 9:52

      Oi Diego! Seja bem vindo ao meu mundinho! Sociedade é vida <3 hehehe
      Fico muito feliz que a resenha tenha conseguido te convencer a ler o livro. Ele é realmente maravilhoso!

  • Reply Mariana 10 de março de 2014 at 8:24

    Se um dia eu puder comprar o livro acho que eu aproveitaria mais.
    Assisti o filme em partes no carnaval. A história é linda, mas eu estava sem concentração para um filme grande.

    • Reply Anna Schermak 10 de março de 2014 at 9:51

      Eu ainda não vi o filme, mas agora quero ver. Já li o livro, agora não tem problema hehehe
      Beijos Mari!

  • Reply Fran Oliveira 10 de março de 2014 at 9:36

    Muito boa a sua resenha! Eu assistir o filme achei uma história muito emocionante! Agora eu to querendo ler o livro, e com a sua resenha fiquei com mais vontade ainda de ler hehehe
    Beijos

    • Reply Anna Schermak 10 de março de 2014 at 9:50

      Oi Fran! Ainda preciso assistir o filme! Eu queria ler antes de assistir ;)

  • Reply Isabela 10 de março de 2014 at 9:42

    Ai, adorei ler a sua resenha! Estou super curiosa por esse livro, vou comprar o quanto antes…

    Bjs!

  • Reply Evelyn 11 de março de 2014 at 9:55

    Eu não gosto muito de drama mas sinto que esse vale muito a pena ler! TODO mundo falou bem!

    Bjs!
    http://newromantic.net

    • Reply Anna Schermak 12 de março de 2014 at 13:53

      Vale mesmo Evelyn! Não vai se arrepender ;) Me diga o que você achou depois okay?

      beijos!

  • Reply Alessandra Tapias 11 de março de 2014 at 10:38

    Já li e AMEI o livro. Tudo bem, sou suspeita, já que curto biografias e mais ainda biografias históricas. Então… foi fácil amar!!

    Sua resenha está impecável e as fotos são lindinhas!!

    Adorei tudo flor!!

    Bjkas

    Lelê Tapias
    http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    • Reply Anna Schermak 12 de março de 2014 at 13:53

      Fico feliz que tenha curtido a resenha e as fotos florzinha! Obrigada pelo carinho *-*

      Beijos!

  • Reply Raquel Moritz 11 de março de 2014 at 13:48

    Bah, to empolgada pra ler esse livro. Gosto de ler sobre esses temas, me fazem valorizar ainda mais cada uma das coisas a que temos direito hoje em dia. :/ Me tira da zona de conforto. Recentemente li “A Invenção das Asas”, que tbm é baseado em fatos reais. É bem menos cruel que esse, mas fala do tema.

    Fiquei feliz por ver que o livro e o filme foram confirmados como material de apoio nas escolas americanas a partir de setembro desse ano. É um período do qual eles tem vergonha e fiquei impressionada de ver que o assunto será debatido. As pessoas tem que falar sobre isso.

    Gostei muito da edição, achei linda ♥ Mesmo simples. Quem sabe num futuro eles lançam uma edição especial com fotos do filme e tal (aquelas que monetiza tudo aheuaheae).

    Beijo ♥

    • Reply Anna Schermak 12 de março de 2014 at 13:54

      Raquelziz! Acho que você vai amar o livro, tipo só acho que deveria ler logo!
      Eu também amei essa edição, só fico chateada como ele estraga fácil por não ter orelha =/

      Baci amore! :*

  • Reply 12 Anos de Escravidão e a longa batalha de um homem livre | Pipoca Musical 3 de agosto de 2014 at 11:48

    […] Texto: Camila Iara | Foto: Anna Schermak (Pausa para um Café) […]

  • Reply [Resenha] Caninos Brancos de Jack London | @cialetras | Pausa para um Café 20 de agosto de 2014 at 15:33

    […] edição da Penguin é igual a todos os clássicos que eu já resenhei aqui: 12 Anos de Escravidão, O Grande Gatsby e O Jardim Secreto! Acho essas edições muito legais, mesmo sem ter orelha e ter […]

  • Leave a Reply