[Resenha Dupla] Lost Kids: Buscando Samarkand de Vários Artistas

[Resenha Dupla] Lost Kids: Buscando Samarkand de Vários Artistas

Lost Kids: Buscando Samarkand
Artistas:
Felipe Cagno – Brasil
Ben & Joey Vazquez – EUA
Rafael de Latorre – Brasil
Wilton dos Santos – Brasil
René Córdoba – México
Noel Rodriguez – Filipinas
Luís Figueiredo – Portugal
Ivan Anaya – El Salvador
César Rafael Gaspar – México
Everardo Orozco – México
Eddy Swan – Austrália
Mike Perez – EUA
Derek Dow – Escócia
Clonerh – México

Um grupo de adolescentes é misteriosamente transportado para um fantástico mundo onde reinam a aristocracia, tecnologia Steampunk, magia e Airships. Nesse novo mundo, eles precisam se unir à curiosos personagens na busca de uma cidade lendária com a esperança de retornarem para casa.

Especula-se que a mitológica cidade de Samarkand possa ser um portal para outros mundos já que é o berço dos Deors, uma poderosa e extinta civilização que talvez tenha descoberto como navegarem entre mundos e realidades.

* Nessa resenha dupla para diferenciar, o texto da Anna estará em cor padrão e do Jean em Azul Escuro *

No início dessa semana eu recebi do Felipe Cagno um exemplar digital da mini série em quadrinhos Lost Kiss – Buscando Samarkand.  Uma mini série que contou com o trabalho de vários artistas durante o processo de criação e como falar de um quadrinho assim, sozinha, é muita responsabilidade convidei o Jean para falar junto comigo sobre essa obra.

Então eu resolvi participar deste curioso tipo de resenha, afinal, é uma HQ

Resenhar uma HQ não é fácil, falar sobre o trabalho de outras pessoas em si, já é algo muito difícil. Mas… e quando esse trabalho toca seu coração? Te faz voltar ao tempo em que você assistia os Goonies ou A História Sem Fim?
Pode ser pior ainda, mas é algo que é preciso ser feito, porque existe algo de muito especial em Lost Kids.

1235107_284218715052576_210308172_n

O enredo de Lost Kids toca seu coração, te faz sonhar com lugares desconhecidos e se aventurar por la. Mesmo que você esteja perdido neste lugar, provavelmente não vai ser um sonho que você vai querer acordar.

Eu ainda não quero acordar, terminei de ler não faz nem duas horas e ainda estou envolta em toda a magia de Samarkand. A história completa todos os pontos em um arco fechado de histórias nesse “compilado” de hqs  te mostrando como um grupo de amigos pode embarcar em uma aventura que não vai apenas transformá-los em uma verdadeira família, mas irá explorar a personalidade de cada um de uma forma tão sutil que você muitas vezes não vai notar que seus sentimentos estão sendo abalados pela história ou por alguma ação até que lágrimas estejam escorrendo de seus olhos.

E não é apenas a história que te deixa tão emocionado, os desenhos são de alta qualidade, cada capitulo é desenhado por um ou dois desenhistas diferentes. Porém as características dos personagens permanecem. Uma experiência que explora bastante o traço característico de cada um.

Algumas pequenas mudanças existem, afinal cada um é um artista diferente, mas é nesse ponto que você percebe o comprometimento e carinho da equipe para fazer um trabalho de primeira na HQ, a cada continuação da história você percebe que o artista trabalhou e trabalhou muito para unir o seu estilo com a personalidade central do personagem, seja o olhar, os trejeitos ou as roupas do personagem. As ilustrações são quase uma história paralela, tão rica e cheia de detalhes que as paisagens te conquistam e os personagens viram pessoas que você quer conhecer, com uma personalidade estampada no traço, no risco, na sombra e na cor.

Sim, é isto que você leu, é uma HQ desenhada por varios artistas. Estes artistas são 13 caras que se conheceram pelo DevianArt (tipo uma rede social voltada a artes) e decidiram criar este belo projeto, mas a produção e o roteiro foram feitos pelo brasileiro Felipe Cagno. Algo parecido é visto na série Sandman, onde Neil Gaiman faz o roteiro e artistas convidados entram com os desenhos. E este projeto deu muito certo.

Se você gosta de histórias estilo Goonies, Caverna do Dragão, História Sem Fim, aventuras de RPG etc, é 100% de certeza que você vai curtir. A história de Lost Kids tem um pouco de cada.

Com elementos que vão conquistar qualquer nerd ou simplesmente um pessoa que sabe apreciar uma história bem contada daquelas de se ler com um café quentinho na frente da lareira, assim com a luz meio fraca em um sábado chuvoso. Com referencias ao mundo geek e personagens bem opostos que se completam, dramas da adolescência e o começo da responsabilidade, Lost Kids é algo lindo!

E esse é um projeto que deu tão certo que estamos falando dele aqui, e damos a maior força para que ele caminhe por todo o Brasil, ganhe asas, voe ou se teletransporte, você escolhe!  Quando um projeto brasileiro (mesmo envolvendo vários artistas internacionais) tem talento e qualidade nós queremos dar todo o apoio para que ele seja concretizado.  E Lost Kids além de entrar para a listinha de favoritos do meu coração por ser tão especial, ele conquistou também outras pessoas que eu conheço e tem muito bom gosto.

Então se você quiser conhecer mais sobre o projeto e ajudar, clique no batão aqui naa resenha e conheça o projeto no Catarse. Um site de crowdfunding onde você pode ajudar com R$10, R$20, R$50, e quantos “dinheiros” quiser e fazer com que Lost Kids vire de papel e tinta.
Todos aqueles que colaborarem ganham pelo menos alguma coisinha, desde seu nome nos agradecimentos e uma edição em pdf a páginas de ilustrações originais. Assista o vídeo abaixo e aproveite para contribuir.

[button color=”orange” size=”big” link=”http://catarse.me/pt/LostKids” target=”blank” ]AJUDE LOST KIDS NO CATARSE! [/button]

Eu e o Jean já ajudamos, e você? Pegue seu café e ajude, nós garantimos, não vai se arrepender!

Anna Schermak
Anna Schermak

Criadora do @pausaparaumcafe, social media, formada em marketing, rata de biblioteca, intolerante à lactose e a pessoas de mau humor.