Acompanhe no youtube
inscreva-se
[Resenha] O Lado bom da Vida de Matthew Quick | @intrinseca

[Resenha] O Lado bom da Vida de Matthew Quick | @intrinseca

[Resenha] O Lado bom da Vida de Matthew Quick | @intrinseca

Sinopse: Pat Peoples, um ex-professor na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele “lugar ruim”, Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um “tempo separados”. Tentando recompor o quebra-cabeças de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com seu pai se recusando a falar com ele, a esposa negando-se a aceitar revê-lo e os amigos evitando comentar o que aconteceu antes da internação, Pat, agora viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida. Uma história comovente e encantadora, de um homem que não desiste da felicidade, do amor e de ter esperança.

“A vida é escrota, aleatória e arbitrária, até que se encontre alguém que faça tudo isso fazer sentido, mesmo que apenas temporariamente.” — Matthew Quick ( O lado bom da vida )

Eu realmente nem sei como começar essa resenha. Eu acabei de ler o livro, não deve fazer mais do que uma hora e ainda sei que as lágrimas que a carta de Tiffani me fizeram derramar deixaram meus olhos vermelhos até agora.
Não quero fazer uma resenha sentimental,  não ao ponto de que pareça algo intencional, minha vontade hoje é muito mais sincera do que parece e eu realmente vou tentar ser clara, afinal não é fácil ler algo que tente ser verdadeiro e caia para o lado sentimental. Só posso dizer que hoje, o lado bom do dia foi ter terminado a leitura de O Lado Bom Da Vida.

IMG_3240

“A maioria das pessoas perdeu a habilidade de ver o lado bom das coisas” — O Lado Bom Da Vida

Eu comecei a ler o livro por indicação do Guilherme que gosta muito do livro. E sinceramente? Nunca passou pela minha cabeça que Pat entraria no meu coração e faria uma bagunça tão grande como fez.

Pat é um personagem que ou você ama, ou você quer bater a cabeça dele na parede até que ele aprenda algo sobre a vida. O problema é: Pat sabe muito mais sobre a vida do que eu e você e durante todo o livro ele tenta te mostrar o quanto você e as pessoas ignoram o Lado Bom de qualquer coisa, inclusive da vida.

O livro tem uma narrativa peculiar, ao te contar tudo através do personagem Pat que além de ter sérios problema psicológicos não se lembra de muita coisa que aconteceu na sua vida. Lutando com todas as suas dificuldades e problemas, Pat está em busca de acabar com o ‘tempo separados’ em que ele e a ex-mulher estão vivendo. Só que isso pode não ser tão fácil assim.

Com personagens completamente cativantes e com seus defeitos, O Lado Bom da Vida é o livro onde todo mundo pode se identificar um pouco, seja no estilo de um personagem, no gosto de outro ou no meu caso: eu e Pat fazemos aniversário no mesmo dia. 

Eu não entendi até a última linha o quanto O Lado Bom da Vida seria importante para mim, não entendi o quanto em poucas páginas ele iria me mostrar a minha vida inteira e ainda me dar um conselho incrivelmente valoroso para a próxima etapa que minha vida está prestes a entrar.

IMG_3211

“Então, estou achando que essa é a parte do meu filme em que parece que nada vai dar certo. Preciso lembrar a mim mesmo que todos os personagens de filmes passam por um tipo de período obscuro como esse antes de encontrarem um final feliz.” — O Lado Bom da Vida

Assim como Pat tem algumas coisas que aconteceram ha 2 anos que eu não gostaria de lembrar, mas que mudaram a minha vida de uma forma que eu não imaginava, me fizeram amadurecer e fazer escolhas que eu não faria. E hoje talvez eu esteja pronta para todo o Lado Bom da Vida, exatamente por essas cosias que eu passei e por como consegui lidar com isso.

Ler o Lado Bom da Vida é uma experiência única se você já passou por algum momento da sua vida em que nada deu certo, em que tudo parecia inútil e fugir, correr e mudar parecesse a única opção no momento. Matthew conseguiu conquistar uma leitora com suas frases extremamente citáveis, mas principalmente pela construção de personagens humanos e sinceros. Que conseguem com sua loucura, se completar da sua maneira.

O livro faz o que eu sempre disse para vocês que é o que mais gosto na literatura. O poder de mostrar que a única pessoa que pode nos ajudar quando chegamos no fundo do poço, somos nós mesmos. A única pessoa que pode fazer com que a gente acredite de verdade na vida, somos nós, e quem sabe… um amor.

Quero tanto ver o filme *-*
Quero tanto ver o filme *-*

O Lado Bom da Vida é um livro que me fez chorar por reconhecer em Pat e em Tiffany as minhas loucuras, me fez reconhecer no Pai e na Mãe de Pat as minhas falhas como pessoas. Me fez reconhecer no irmão de Pat a irmã que eu sou. E por último e talvez mais importante, me fez reconhecer que como leitora, o Lado Bom do Meu Domingo foi a leitura de tudo que é esse livro.

Leiam, mas busquem o melhor momento. O livro pode não agradar a todos e ainda me deixou chateadinha pelos Spoilers de outros livros (como Gatsby) durante a história.

Obrigada Gui por me indicar o livro, obrigada por ter me convencido de tanto falar de Pat. Não sei se algum dia vou conseguir te indicar um livro que te toque tanto como O Lado Bom da Vida conseguiu tocar meu coração.

IMG_3212

“Parece triste. Parece com raiva. Parece diferente de todas as outras pessoas que conheço. Ela não consegue fingir aquela expressão feliz que os outros figem quando sabem que estão sendo observados. Ela não precisa fingir comigo, o que faz confiar nela, de certa forma.” — O lado bom da vida.

IMG_3210

Edição: 1 | Editora: Intrínseca | ISBN: 9788580572773 | Ano: 2013 | Páginas: 256 | Tradutor: Alexandre Raposo

Comprar: Submarino | Americanas | Amazon

Nota: 5/5

autoresAos 30 anos, Matthew Quick era um respeitado professor de inglês em South Jersey que incentivava seus alunos a acreditar no próprio potencial e no poder da literatura — até o dia que se sentiu um hipócrita. Infeliz, ele largou o emprego e vendeu a casa para se dedicar ao sonho de escrever. Após três anos lidando com uma severa depressão, criou O lado bom da vida, romance que se tornou um sucesso imediato, cuja adaptaçao cinematográfica chega às telas brasileiras em 1° de fevereiro.

14 Comments

  • 4 anos ago

    Amo esse livro! <3

  • 4 anos ago

    Anna, difícil dizer o quanto fiquei feliz por você ter gostado do livro! Ele também apareceu na minha vida em um bom momento – em que eu estava aprendendo a focar mais nas coisas boas, ao invés de pensar tanto nas dificuldades. Bom, você já sabe o que acho desse livro (e por que ele está no meu top 10)…
    Aceita companhia pra ver o filme? 😉

    :*

    • 4 anos ago

      Sim, foi muito bom ler! Obrigada de novo *-*
      E é claro que vamos ver, eu queria ver hoje, mas vou esperar para ver com você ;*

  • 4 anos ago

    Ah, adorei a resenha e estou mais uma vez impressionado com a sua agilidade! XD

  • 4 anos ago

    Oi, Anna! Td certo?

    Eu tinha separado esse livro para concluir as férias, porém, acabei pegando um spoiler e adiei a leitura. Acho que vc foi super bem-sucedida em trazer a emoção do livro para a resenha sem exagerar, me tocou!
    Estou dando um tempo para esquecer do que li, mas logo mais, pretendo ler!

    Beijos
    http://arrastandoasalpargatas.blogspot.com.br/

    • 4 anos ago

      Oi Rafaela! É sempre tão chato pegar spoilers, eu sempre acabo encontrando eles no tumblr, é uma zona de spoilers aquele lugar.
      Fico feliz que tenha conseguido te tocar com a resenha, pois o livro me tocou de uma forma linda <3

      Beijos!

  • 4 anos ago

    Oh só, eu to no time que ‘quer bater a cabeça dele na parede até que ele aprenda algo sobre a vida’, HAEUAHEUHAE. Particularmente achei o livro bem enfadonho, mas eu entendo o recurso do autor, já que é um livro em primeira pessoa e o Pat ~é assim~.

    Mas tenho que concordar contigo: a carta, no final, me fez chorar tbm. Na real, no filme eu tbm fiquei ~abalada~ na cena da carta, aheaheuae. É lindo, né? Na realidade, as últimas páginas do livro me encantaram, mas não foi o suficiente pra eu gostar 🙁

    Acontece, hehehe.

    Beijo, linda ♥

    • 4 anos ago

      Pipoquinha! Te entendo completamente e acho que se não tivesse alguns pontos cruciais na história que me fizessem entender o Pat eu também não teria gostado.
      Mas quem não é um pouco chato e depois se mostra uma boa pessoa? :*

      Beijos gatona! ♥

  • 4 anos ago

    Eu ganhei este livro, e quem me deu já foi meu namorado, hoje somos amigos. Ele leu e disse que é maravilhoso e que em vários momentos chorou lembrando da nossa vida juntos. Achei estranho e engraçado, mas me deixou bem curiosa. Quero muito ler e me emocionar tanto quanto você e ele se emocionaram.
    Adorei a resenha!!

    Bjkas

    Lelê Tapias
    http://topensandoemler.blogspot.com.br/

  • 4 anos ago

    Tentei ao máximo não ver o filme antes de ler o livro e tava motivada a ler logo já que é bem fininho, mas nem deu :~
    O filme é legal, é divertido, mas não tem nada demais. Pelo que entendi da tua resenha o livro passa uma mensagem bem profunda e inspiradora, mas acho que isso não foi captado bem no filme :/ Mas também, pode ser que depois que eu leia, tudo faça mais sentido e fique melhor 🙂

    Me empolguei agora! Vou tentar adiantar esse livro e lê-lo ainda esse mês!
    Beijos, Anna!

    Bruna
    http://www.umpoucodissoeaquilo.com.br

    • 4 anos ago

      Oi Bruninha! Espero que goste do livro, acho que ele é um pouco de “momentos” e muita gente não gostou. Eu entendo!
      Quero saber sua opinião depois <3

  • 4 anos ago

    Engraçado que cada pessoa tem uma reação diferente com esse livro, mas todo mundo entra meio que na “loucura” dos personagens.

    Adoro livros que dão um tapa na nossa cara e nos mostra nossos próprios pontos, mesmo que já sabemos quais são e saibamos como mudar ou melhorar.

    Amei a resenha, quero ler! <3

    • 4 anos ago

      Oi Thaís lindinha!
      Fico feliz que tenha gostado da minha resenha!
      Quando ler o livro, me conte o que achou *-*

Leave a Comment

Leave A Comment Your email address will not be published

CRÔNICAS

sonhei com você.

Acordei hoje com um sorriso amargo. Sonhar com você está sempre repleto de dualidade, ao mesmo tempo que gosto daquela sensação de proximidade, fico triste pela saudade que bate mais forte depois de uma noite inteira sonhando com você.

Read More