Acompanhe no youtube
inscreva-se

[Resenha] Peça-me o que quiser ou deixe-me de Megan Maxwell | @Suma_br

[Resenha] Peça-me o que quiser ou deixe-me de Megan Maxwell | @Suma_br

Sinopse: No último volume da trilogia, os protagonistas lutam para preservar sua relação. Judith está adorando ter o Iceman só para ela, e os jogos eróticos dele continuam lhe dando prazer; Eric se sente o homem mais feliz do mundo e não pode imaginar sua vida sem seu grande amor. Mas os ciúmes e a superproteção do alemão são motivos de constantes brigas — Judith já não está tão certa sobre o futuro da relação. Com Peça-me o que quiser ou deixe-me, Megan Maxwell conclui uma das sagas eróticas mais populares da Espanha.

Estou preocupado, querida.
Eu errei. Te acusei de me esconder coisas quando eu próprio sabia da
tua irmã e não te contei. Sou um idiota. Estou ficando louco. Por favor, me liga.
Te amo.
Eric

Peça-me o que quiser ou deixe-me virou o caso mais badalado dos últimos tempos de “amor e ódio”. Muitas leitoras amam e muitas leitoras o odeiam. Motivo: O livro é polêmico em suas escolhas e tem uma protagonista muito difícil de gostar. Qualquer mulher em sã consciência vai ter problemas com as atitudes de Jud e se você acha o que ela faz, muito normal. Minha amiga, você tem problemas sérios.

Judite está longe de ser minha protagonista preferida, em alguns momentos ela consegue me irritar de tal maneira que eu gostaria de estrangulá-la. Só que em muitos momentos eu acho que ela faz certo como ser um pouco difícil e fazer Eric aprender um pouco sobre o que está fazendo e as burradas que apronta. Só que… os dois erram ali. E o livro segue pautado pelo erro do casal, pelas desavenças e pelos problemas gerados pelo seu próprio estilo de relacionamento.

IMG_2985

Então, agora que entramos nesse assunto, vamos continuar por ele. E já indico que caso você não tenha lido o primeiro e o segundo volume e pretenda ler, não continue lendo essa resenha. Vou contar alguns spoilers que podem lhe incomodar. Sinta-se avisada.

Confesso que me decepcionei muito com a história do terceiro livro. E que se eu já achei o primeiro e o segundo muito mal escrito, aqui eu queria realmente entender como a Megan estuda o seu estilo literário, pois não consigo ver a escrita dela como algo elaborado ou dedicado. A forma com que Maxwell escreve me passa muito a impressão de que foi escrito com pressa para terminar. Eu gostaria que fosse diferente. Esse ponto melhoraria muito a leitura.

Sei que o livro não é de um estilo que eu posso esperar algo muito completo e espetacular, mas a forma com que Megan simplesmente ignora ao ponto que deixar o leitor angustiado. Ela não traz realmente um drama complexo para a história,  como a doença de Eric é simplesmente deixada de lado para focar em um caso de fofoca e intriga, quebrando a credibilidade que a autora poderia passar com o enredo.

IMG_2978

IMG_2976

O livro tem suas partes positivas? Tem. Pelo menos as cenas de sexo a autora consegue descrever muito bem e passar as opiniões dos personagens de uma forma interessante e intensa. Só que não é só disso que o livro precisa viver.

A forma com que Judite trata uma situação muito importante e que deveria ser extremamente bonita para qualquer mulher é muito revoltante. Desde a forma com que ela chama ~ spoiler ~ até a forma com que ela decide lidar com a sexo nessa época.  Eu como mulher me senti revoltada e acreditava que a autora pudesse criar algo mais romântico e que não ofendesse.

Eu realmente queria gostar mais do livro, queria me interessar pela leitura e estava até mesmo muito empolgada, mas o livro foi uma enxurrada de decepções para o meu coraçãozinho. Eu, Anna leitora, não leria esse terceiro volume novamente.

Mas, se você leitora, gosta do gênero, não tenho nada contra ~ até porque, estou lendo direto sobre ele ~. Essa é apenas minha opinião. Se você curtiu, legal termos gostos diferentes, mas vamos concordar que a Judite irrita né? Mais amor nesse mundo gente. E por favor, sem essa de dividir com os amigos né? Se é meu, é só meu.

Mas aposto que temos uma coisa no mundo que todas concordamos Bjorn <3 ah… Bjorn <3 

A edição do livro segue o padrão dos volumes anteriores, agora os detalhes estão na cor laranjada e a diagramação está muito bonita, contribuindo para a leitura rápida do livro. Confira abaixo nas fotos.

IMG_2988

IMG_2987

IMG_2986

Edição: 1 | Editora: Suma das Letras | ISBN: 9788581051802 | Ano: 2014 | Páginas: 364

ComprarAmazon | Submarino | Americanas

Nota: 1/ 5

autoresMegan Maxwell, nasceu em 1965, em Nuremberg, na Alemanha, deixou a Alemanha em tenra idade e se mudou com sua mãe para Madri na espanha.Trabalhou como secretária em um departamento jurídico por vários anos, até que um dia , ela decidiu escrever romances sob o pseudônimo de Megan Maxwell.

post

Relacionados

1 Comment

  • Sabrina Piano
    4 anos ago

    Confesso que tentei muito, muito mesmo gostar dessa série, mas ainda não consegui nem terminar o primeiro livro, tive que largar e dá um tempo pra respirar, porque garota, essa série não é pra qualquer um, tem que ter folego pra aguentar tanta “esquisitice”, desculpa quem gosta da série, quem curte esse tipo de erotismo, mas como você disse “o que é meu, é só meu”, é nessas horas que eu sinto falta do Grey e sua possessividade. A Jud é de longe uma das personagens mais controvérsias pra mim, quando ela tá com o Eric, e só os dois juntos, eles formam um casal lindo e romântico, nessas partes eu gosto do que a autora faz com a história do casal, mas quando o Eric começa a querer compartilhar a mulher com outros e ela aceita, eu fico tipo WTF! que tipo de mulher iria aceitar isso, e que tipo de homem iria fazer isso com a mulher dele, mas claro isso é a minha opinião. Embora e nem tenha terminado de ler o primeiro, eu á vi que a autora não se aprofundava muito nas coisas importantes, as cenas de sexo são bem escritas e tal, mas como você disse o livro não precisa só disso pra ser bom!

Leave a Comment

Leave A Comment Your email address will not be published

CRÔNICAS

sonhei com você.

Acordei hoje com um sorriso amargo. Sonhar com você está sempre repleto de dualidade, ao mesmo tempo que gosto daquela sensação de proximidade, fico triste pela saudade que bate mais forte depois de uma noite inteira sonhando com você.

Read More