Aparentemente contos de fadas andam em alta no mundo televisivo, não? Grimm, Once Upon a Time e agora Beauty and the Beast!

Pra quem não sabe, Beauty and the Beast (que aqui eu vou abreviar como BatB) é originalmente uma série de 1987. Sim! Eu mesma não sabia disso, só fui descobrir ao pesquisar mais informações pra escrever esse review. Essa versão original da série foi ao ar de 87 à 1990, e contou com cerca de 56 episódios.

Agora, o review aqui é sobre o reboot da série, que estreou em 11 de Outubro. De maneira bem resumida e sem spoilers, a série conta a história de Vincent Keller e Catherine Chandler.

Bom, sobre o piloto da série em si: achei bom. Na realidade ele começa fraco, passei cerca de 15 minutos do episódio mentalmente criticando as atuações e tudo mais, só que depois de um certo ponto o episódio desenrola e flui muito bem.

Algumas críticas seriam a ambientação, já que o departamento de polícia de NY mais parece uma agência de publicidade. Alguns estereótipos rolam por lá também: o coadjuvante latino, o chefe de polícia negro e etc.

Catherine, papel de Kristin Kreuk, não é uma policial 100% badass que vive engarrafando emoções em nome de pegar os assassinos. Ela é forte, mas demonstra ainda sim um lado mais suave e emocional, quebrando um pouco o estereótipo da policial feminina que vemos por aí, apesar do motivo de sua entrada pra polícia ser extremamente clichê.

Algo que me cativou MUITO na série foi o ar de conspiração que permeia todo o primeiro episódio, bem como a explicação do que leva o Vincent a ser a besta. Se vocês estão esperando alguma explicação mágica ou sobrenatural, podem contar com uma surpresa no caminho.

Outra coisa que vale a pena ser mencionada que é um minor spoiler: a cena de luta desse episódio é muito bem coreografada. Em determinado ponto Catherine é obrigada à cair no braço com alguns vilões, e Kirstin não deixou à desejar na cena.

De maneira geral, BatB é uma série promissora mas que anda numa fina linha entre os estereótipos aceitáveis e exageros nessa área. Em termos de trama, o potencial é indiscutível, mas tudo depende de como essa trama vai ser trabalhada.

Previsão de mãe diná: eu acho e quero que passe pra segunda temporada, mas se errarem a mão na trama a série morre na primeira.

Avaliação final: 3,8 xícaras de café.

Veredito: vale à pena dar uma chance