Traduções da Divina Comédia #LendoDante

Sim, hoje nós vamos falar sobre as traduções da Divina Comédia. E eu separei primeiro alguns pontos que devemos deixar bem claros:

Agora vamos ao que interessa.

img_6855

Existem hoje algumas edições mais conhecidas da Divina Comédia aqui no Brasil. Elas são:  A edição bilingue da 34, a  edição bilingue da Landmark, as edições da Abril e a edição da LPM Poket.

A Edição da LPM Pocket é traduzida pelo Eugênio Vinci de Moraes, professor do Centro Universitário Uninter do Paraná e também tradutor dA arte da guerra  (L&PM). A tradução do Eugênio ao contrário das outras traduções que vamos citar por aqui, é em prosa. Ela não segue o original que é em verso.  Eugênio utilizou a versão do Giorgio Petrocchi, para sua tradução. O próprio Eugênio recomenda que você leia a versão em prosa acompanhada da versão em verso. Até mesmo nas versões em italiano.  

LEIA UM TRECHO ONLINE AQUI 
captura-de-tela-2016-10-29-as-20-13-24

A Edição da editora 34 tem tradução e notas do Italo Eugênio Mauro e pessoalmente é tradução que eu mais gosto. A tradução da Divina Comédia foi um trabalho de 12 anos para Italo. E alguns o criticam por se focar mais na no lado literal da tradução do poema. Outros criticam essa tradução por mesmo prezando pelo lado literal, não traduzir a palavra MERDA (por exemplo) como merda e trazer um lado mais leve para o Inferno onde Dante realmente usa uma linguagem mais suja.

LEIA UM TRECHO ONLINE AQUI

captura-de-tela-2016-10-29-as-20-16-34As edições da Abril muitas vezes são encontradas com a tradução feita por Jorge Wanderley. Infelizmente Jorge morreu antes de concluir seu trabalho e traduziu apenas o inferno. Muitos preferem essa tradução do Inferno por manter a linguagem mais suja. (ESSA EDIÇÃO da Record, também tem tradução do JORGE WANDERLEY). 

img_6865

E por último temos a edição da Landmark que traz uma das traduções mais amadas pelos fãs da Divina Comedia. A tradução do Vasco de Graça Moura. Muitos leitores preferem essa tradução por conter tanto a musicalidade do texto com suas métricas e rimas, quanto a linguagem mais suja do Inferno.

E agora você me pergunta. Anna, qual edição eu leio? Eu gosto da tradução do Eugênio, mas isso é uma questão muito pessoal, minha sugestão é que você utilize as provas dos livros livros disponibilizadas nesse post e faça a leitura de alguns versos para sentir qual te agrada mais durante a leitura e assim realizar a compra do seu exemplar.

ONDE COMPRAR?

Divina Comédia – Editora 34 (versão simples)  | AMAZON – SUBMARINO
Divina Comédia – Editora Landmark (bilingue) | AMAZON – SUBMARINO
A Divina Comédia – Editora 34 (bilingue – 3 volumes) | AMAZON  – SUBMARINO

img_6900

CONFIRA AQUI MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O PROJETO #LENDODANTE

Espero que todos vocês nos acompanhem nessa jornada. Espero por vocês!

Aproveite para nos seguir nas redes sociais!

Facebook Instagram Twitter Tumblr Google +  ? Pinterest Youtube  ?Blogvin Flickr

Share:
9 comments so far.

9 respostas para “Traduções da Divina Comédia #LendoDante”

  1. Bacana esse post. recentemente fiquei com vontade de ler A Divina Comédia (novamente) por causa do livro O Livro Secreto de Dante, da editora Generale e espero achar algumas dessas versões em ebook . Tradução é algo muito complicado.

  2. Davi Moreira disse:

    Há algum tempo, por causa de um excelente professor de literatura do cursinho, venho querendo ler esta obra-prima. Estava em dúvida sobre qual edição escolher; na primeira oportunidade passarei na saraiva para dar uma conferida na edição da Landmark. Muito obrigado pela matéria!

  3. Joaquim Itapary disse:

    Há uma excelente tradução de O INFERNO feita pelo maranhense Vinicius Berredo conhecida apenas por bibliófilos e estudiosos da obra de Dante

  4. Raiom Sarmento disse:

    Você sabe me informar qual é a melhor/mais fiel tradução da obra Decamerão feita para a língua portuguesa? Se você puder me informar pelo e-mail, eu agradeço.

  5. Raiom Sarmento disse:

    Graças a sua sugestão, eu comprei a tradução de A Divina Comédia, feita por Vasco Graça Moura. A edição da Landmark é bilingue o que me fez gostar mais.

  6. Laís disse:

    Adorei o post! Estava justamente me questionando qual tradução comprar. Acho que vou optar pela da Landmark porque está por 1,99 na amazon e a da editora 34 está quase 100 reais 🙁

  7. Cris disse:

    Adorei sua resenha. Seguirei blog.
    Abraços do Sul!

  8. leandro disse:

    Pessoal, quem faz essa pintura da capa da Landmark???
    Não dão o crédito na obra 🙁

Deixe uma resposta para leandro Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Anna Schermak

Anna Schermak

26 anos, Curitibana, Formada em Marketing. Criadora do Pausa Para um Café e Social Media na maior parte do tempo. Apaixonada por cachorros, cafés e bons livros.

PESQUISE

PUBLICIDADE

Publicidade

COLUNAS

Submarino

Últimos Vídeos