yzvxz_oyvxu-aliis-sinisalu

Se eu e você começarmos ler o mesmo livro, não terminaremos lendo o mesmo livro.

Não, não estou falando sobre um ler o livro físico ou o livro digital. Isso também não é uma questão de tradução e original (isso a gente deixa pro próximo café). Eu estou falando mais aqui sobre a nossa vida do que sobre o livro em si.

Eu sou uma pessoa, Anna se você já me conhece ou Anna se fomos íntimos (desculpa é que eu não tenho apelidos). Mas prazer. A Anna é uma mulher de 23 (quase 24) anos que gosta muito de ler, trabalha com internet é formada em marketing e mora com a mãe e o irmão. Você, fulano e ciclano provavelmente são diferentes e mesmo que tenham a mesma idade e a mesma profissão, provavelmente não tem um cachorro ou não perdeu o pai.

Essas diferenças por mais pequenas que sejam, transformam nossa leitura. E eu percebi isso já faz muito tempo, mas toda vez que eu falo que gosto ou não de um livro, a percepção fica maior e toma proporções maiores. De Harry Potter a O Corcunda de Notre Dame, não importa o livro ou o autor, nossas experiências serão completamente diferentes.

Mas você diz: Anna isso é uma questão de gosto. E eu digo: também. Mas não é APENAS isso. A sua experiência de leitura está ligada desde a sua convivência com a sua mãe e família até mesmo se o dia estava chovendo ou fazendo um sol escaldante. Você estava em um dia bom? Brigou com seu chefe? Comprou uma casa nova? A leitura está ligada a sensações. Nada mais justo que nossos sentimentos e nossas lembranças também influenciarem nessa experiência.

p_p4ngz5cb4-aga-putra

fonte das fotos: unsplash.com

Muitas vezes o autor é só ruim mesmo. Mas muitas vezes aquele livro não é pra nós, ou para aquele momento da nossa vida, para aquela estrutura que estamos vivendo naquele momento. A leitura é uma profunda experiência que está ligada a todas as fases e momentos da nossa vida. É um profundo estado de aprendizagem, conhecimento e experimentação.

O livro não é apenas um pedaço de papel com algumas palavras que se a gente tiver muita sorte, o autor foi muito bom na forma com que as escreveu. O livro é uma pequena vida que tomara Deus, viverá para sempre e influenciará também outras pequenas vidas.

Assim como algumas vezes você não gosta de uma pessoa e não sabe explicar, ou as vezes ama muito um amigo mas não concorda com as opiniões dele, nossa experiência com o livro pode ser diversa e complicada de explicar. Muitas vezes eu acabo esbarrando com um livro que eu leio uma ou duas páginas e sinto que não posso ler ele naquele momento, não está na hora ainda. Enquanto meus amigos estão vivendo experiências fantásticas com aquela leitura.

Assim como cada ser humano é diferente em toda a sua complexidade, as leituras (mesmo que dos mesmos livros) serão em toda a sua grandiosidade, diferentes. As vezes complicadas, e se o autor for muito bom (ou não), algumas pessoas até tenham a mesma opinião sobre ele. Mas nunca a mesma experiência. O mesmo frio na barriga, a mesma lágrima ou os mesmos batimentos cardíacos.

E essas, são coisas que só os leitores entendem, coisas que não sabemos explicar, mas que sabemos lá no fundo que é um dos inúmeros motivos pelos quais estamos sempre com um livro ao nosso lado.

São essas experiências que nos transformam e fazem com que eu e você tenhamos os mesmos livros em mão e sentimentos tão diferentes no coração.

fonte das fotos: unsplash.com

Baci ;*

Aproveite para nos seguir nas redes sociais!

Facebook ☁ Instagram ☁ Twitter ☁ Tumblr ☁ Google +  ☁ Pinterest ☁ Youtube  Blogvin ☁ Flickr

Captura de Tela 2017-06-29 às 10.53.35