Menu
Top5

5 Clássicos para assistir no Halloween

Halloween, Dia das Bruxas, Dia dos mortos… Chame do que quiser.  Mas dia 31 de outubro é mundialmente famoso pelo terror! E foi pensando nisso, que o Pausa separou pra você 5 Clássicos do cinema para curtir uma noite de horror.

“Mas por quê clássicos, Ph?” Simples! Porque clássicos são muito mais assustadores que esses terrores baratos de hoje em dia. Grandes nomes e grandes produções de horror são das antigas. Sem falar que filme antigo sempre acrescenta aquele quê de suspense.

Vamos a lista então!

 

1 –  CARRIE, A ESTRANHA (1976)


 

Começar a lista com uma adaptação para o cinema de uma obra de Stephen King, é para poucos. Carrie, foi o primeiro grande sucesso do diretor Brian de Palma e também o filme que apresentou ninguém menos do que John Travolta. O filme é uma mistura de melodrama com gótico, sobrenatural e filmes para adolescentes, evidenciando a tendência do diretor de viajar entre a realidade e fantasia sem aviso prévio.

Carrie, é uma garota que sofre toda opressão possível à uma adolescente na escola, e pela mãe fanática religiosa. Essa tensão que paira sobre a vida da personagem acaba criando poderes telecinéticos que transformam a adolescente em uma Rainha do Mal.

Sissy Spacek é fantástica na interpretação da personagem-título assim como Piper Laurie, no papel de Mãe. Ambas receberam indicações ao oscar. E um detalhe, chega as telonas em março de 2013, o remake de Carrie, que promete ser ainda mais fiel a obra literária.

2 – TUBARÃO (1975)

 

 

Quem nunca ouviu a clássica trilha desse filme? Tubarão é uma das maiores obras-primas de Steven Spielberg, que nessa época já era famoso por adaptar belamente romances para o cinema, como Parque dos Dinossauros e A Lista de Schindler. Mas a adaptação do livro de Peter Benchley é simplesmente fantástica. Em suma, o filme é uma ficção que relata o terror vivido por um cidade de veraneio que tem suas praias frequentadas não só por banhistas mas por um terrível tubarão gigante, cruel e sedento por sangue.

O Elenco é simplesmente arrasador, e até o “Bruce”  (apelido carinhoso do tubarão de borracha usado nas filmagens), é extremamente realista para época. Sem falar na música perfeita criada pelo mestre John Willians, que até hoje aterroriza nossas mentes. Spielberg merece o crédito por me fazer desistir de ir a praia.

3 – O EXORCISTA (1973)


 

Tavez, o primeiro grande sucesso da história do horror. O Exorcista foi um inovador, um rebelde, e uma inspiração para o futuro do cinema do medo. O filme gerou tanta polêmica, foi contra tudo e contra todos e isso acabou gerando filas gigantescas nas portas dos cinemas. Todos queriam ver um filme que supostamente causava ataques de vômito, loucura e psicose temporária. Houve até notícia na época que os casos de possessão “reais” aumentaram significativamente.
Adaptado do livro homônimo escrito em 1971 por William Peter Blatty, o filme é um relato do desespero vivido por uma mãe que encontra sua filha a beira (e posterior, totalmente) de um ataque de possessão demoníaca. Após inúmeras tentativas e exames médicos Chris McNail (Linda Blair) é orientada a busca ajuda da igreja. Implora então a ajuda de padre Damien Karras (Jason Miller) que inicia uma verdadeira batalha contra o demônio.

A nojeira se tornou o grande trunfo do filme que arrebatou audiência assim. Sem falar na trilha marcante que até hoje ecoa na mente de muita gente.

4 – O ILUMINADO (1980)

 

 

Segundo a Anna, a melhor adaptação de Stephen King para o cinema, já realizada. O Iluminado foi o filme que criou fama incontestável, para Stanley Kubrick, Stephen King e Jack Nicholson.

Jack Torrance (Jack Nicholson) leva seu esposo e filho para morar num luxuoso hotel onde foi contratado para trabalhar como caseiro na baixa temporada. Durante a estádia no hotel que fica deserto, a família começa a ter diferentes alucinações, começando por Danny (Danny Lloyd) que tem constantemente visões de sangrentos assassinatos. Jack, então sem perceber começa a enfrentar surtos de loucura e se torna um perigoso psicopata, que começa a perseguir sua própria família.

O filme e sombrio, angustiante e claustrofóbico. Kubrick  mostra o seu amplo domínio da arte para cria atmosfera pesada e doente do filme que acaba entrando para o hall dos maiores clássicos, auxiliado por uma produção impecável, música extremamente acertada e um elenco maravilhoso.

 

5 – PSICOSE (1960)

 

 

E por último, e mais importe: Sim! Ele, o mestre do suspense, Alfred Hitchcock! Psicose, que já levou o titulo de melhor filme de todos os tempos, não poderia faltar nessa lista. O filme que deixa de lado as criaturas do passado do gênero (zombies, vampiros, etc) e coloca no papel do mal, um monstro de carne e osso, se tornou a maior referência na história dos filmes de terror.

Adaptado de um livro de Robert Bloch, Psicose conta a história de uma jovem atraente que rouba 40 mil dólares do lugar onde trabalha e foge. Depois de uma noite inteira de estrada, ela se abriga em um motel barato na beira de estrada e é recebida pelo desajeitado, mas querido Norma Bates (Anthony Perkins). Em uma virada chocante, que reza a lenda, fez os espectadores gritarem na platéia, a jovem é esfaqueada até a morte no banheiro (a cena mais lembrada de todos os tempos do cinema).

Com a música impecável de Bernard Hermann, a genialidade de Hitchcock e um elenco de primeira, o filme marcou época e até hoje é reconhecido como símbolo do suspense. Um preto e branco que sobrepõe até o último tom de cinza.

—-

E aí? Conhece algum clássico que deveria estar entre os 5 mais? Conta aí pra gente. 🙂

 

 

About Author

Criadora do @pausaparaumcafe, social media, formada em marketing, rata de biblioteca, intolerante à lactose e a pessoas de mau humor.

9 Comments

  • Thais de Moraes
    31 de outubro de 2012 at 17:05

    Gente, sério, eu tenho medo desses filmes ai.. hahahaha. Não assistiria nenhum deles, porque eu preciso muito das minhas horinhas de sono à noite e não quero perdê-las.

    Reply
    • Harlen
      31 de outubro de 2012 at 17:36

      O.O Que pecado! Todo mundo precisa ver um clássico desses, antes de partir. MWAHAHAHA! (Halloween pede comentário macabro, haha)

      Reply
  • Fernanda Yano
    31 de outubro de 2012 at 21:10

    Clássicos mesmo, e para alguém fã do gênero como eu a lista está ótima.
    Se fosse acrescentar mais um seria “O bebê de Rosemary”.

    Reply
    • Ph
      1 de novembro de 2012 at 01:24

      Pensei seriamente em incluir O Bebê de Rosemary. é difícil fazer uma seleção dessas, indicaria pelo menos uns 20 filmes 🙂

      Reply
  • Monica Silva
    1 de novembro de 2012 at 12:57

    Arrasou na lista hein!! Só trocaria “Tubarão” pelo “Bebê de Rosemary” pois acho que na época até que o filme deu seus sustos, mas agora quando vejo rolo de rir com aquele tubarão… rsrsrss De todos, pra mim, o melhor é ‘O iluminado’, Jack Nickolson da um show!

    Reply
  • Carolina Ribeiro
    1 de novembro de 2012 at 21:53

    Nunca vi “Carrie, A Estranha” e não vou deixar a oportunidade de ver a nova versão passar xDD

    http://autoracarolinaribeiro.blogspot.com.br

    Reply
  • Kimy Gabrielli
    2 de novembro de 2012 at 14:54

    rsr De todos os que eu já vi Tubarão é o que me dá mais medo 😛 Desde então nunca mais quis ir para o mar 😛 Sério, tipo, dá muito medo.

    Mas vou queres assistir “Carrie, A Estranha” 😛 pode crer 😛

    Beijinhos,
    Kimy Gabrielli

    Reply
  • Vanilda Procopio
    3 de novembro de 2012 at 15:09

    Clássicos são sempre clássicos, mas também não me arriscaria neles. Uma vez tentei ler o livro “O Exorcista” e não deu muito certo não. Acho que iria para algo mais “leve”, digamos, tipo a Hora do Espanto ou A Hora do Pesadelo …

    Reply
  • Juliana Xavier
    6 de novembro de 2012 at 23:03

    Sinceramente, eu passei voando pela postagem!! hahaha… Fiquei com medo de só as descrições me darem pesadelos! rs… Não vejo filmes assim nem que me paguem, rs, veria um de bruxas mesmo, como As Bruxas de Eastwick! rs…

    Reply

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.