A aventura surreal mexicana na Graphic Novel Brasileira "Guadalupe" - Seu site sobre Literatura e RPG

Vídeos Segunda, Quarta e Sexta.   SE INSCREVA

Search

A aventura surreal mexicana na Graphic Novel Brasileira “Guadalupe”

Anúncios

Já fazia muito tempo que eu queria ler Guadalupe. Aquela Graphic Novel de 2012 com uma capa vermelha chamativa com uma mulher e uma águia. Com ares de mexicana, mas escrita em terras tupiniquins, Guadalupe é mais uma história nacional que a gente esquece que existe, até ela cair nas nossas mãos e nos mostrar o que nossos ilustradores e roteiristas brasileiros estão fazendo.

Solicitei na parceria com a Companhia das Letras, estava com muita vontade de ler um quadrinho e Guadalupe estava na wishilist faz muito tempo. Quando ela chegou eu devorei rapidamente, com poucos diálogos e um traço bruto, a Graphic Novel vai se desenvolvendo rapidamente para discutir algumas questões interessantes, principalmente a tolerância e o preconceito.

Anúncios




Guadalupe, nossa personagem principal, está ali assim como eu e você, perdidos na história na maior parte do quadrinho. Mas que aos poucos vai se acostumando com aquele clima mexicano, todo cheio de crenças e superstições. Histórias antigas, deuses, promessas de família e ensinamentos.

Mas acredito que o encanto do quadrinho esteja nos personagens que estão ao redor de Guadalupe, sua família, seus amigos, toda a sua história. São e dançarinos, gays, lésbicas, pessoas como nós, mas que por preconceito a humanidade tenta dizer que são diferentes. A história trabalha de forma muito interessante o que o preconceito pode fazer com o amor e o que muitas dessas pessoas passam e sofrem dia após dia.

Anúncios



Mas com uma morte inesperada, Guadalupe parte em uma aventura surreal para um enterro. Com direito a drogas, espíritos de outro mundo e super poderes, a menina descobre mais sobre si do que imagina, se tudo aquilo não passou de imaginação de Guadalupe talvez nunca saberemos, mas com uma ilustração quase crua, e que pode até incomodar, descobrir um pouco também de onde viemos e para onde estamos indo.

Anúncios

ISBN-13: 9788535921953 | ISBN-10: 8535921958 | Ano: 2012 | Páginas: 120 |Editora: Quadrinhos na Cia.

ANGÉLICA FREITAS: Nasceu em 1973, em Pelotas, no Rio Grande do Sul. Publicou, entre outros, o premiado volume de poesias Rilke shake, além do recente Um útero é do tamanho de um punho, ambos pela Cosac Naify. Suas obras já foram traduzidas na Argentina, Espanha, México, Estados Unidos, Alemanha e França.

ODYR: Nasceu em 1967, também em Pelotas. É editor, quadrinista e artista gráfico. Com S. Lobo, lançou a graphic novel Copacabana(Desiderata, 2009), indicada ao prêmio HQ Mix. Seus quadrinhos foram publicados nas revistas Sexy, Trip, Mosh, Graffitti, Revista do Globo e nos jornais O Globo e Folha de S.Paulo.

Anúncios

{ Esse livro foi enviado pela editora Quadrinhos na Cia. para resenha no blog. Em compromisso com o leitor, sempre informamos toda forma de publicidade realizada pelo blog

CLIQUE AQUI PARA COMPRAR 

Baci ;*

Anúncios

Aproveite para nos seguir nas redes sociais!

Facebook Instagram Twitter Tumblr Google +  ? Pinterest Youtube  ?Blogvin Flickr

Sair da versão mobile