Menu
Literatura

A paciente silenciosa, de Alex Michaelides

Sinopse: Alicia Berenson escreve um diário para colocar suas ideias em ordem. Ele é tanto uma válvula de escape quanto uma forma de provar ao seu adorado marido que está bem. Ela não consegue suportar conviver com a ideia de que está deixando Gabriel preocupado, de que está lhe causando algum mal. Alicia Berenson tinha 33 anos quando matou seu marido com cinco tiros. E nunca mais disse uma palavra. O psicoterapeuta forense Theo Faber está convencido de que é capaz de tratar Alicia, depois de tantos outros falharem. E, se ela falar, ele será capaz de ouvir a verdade?

Theo Faber é um psicoterapeuta praticamente obcecado pelo caso de Alicia e, por isso, ele aceita o emprego da instituição mental em que ela está, o Grover, para tentar ser a pessoa com quem ela será capaz de falar, mas ele realmente tem essa capacidade?

A história apresenta a narrativa da perspectiva de Alicia, uma incrível pintora, através de um diário que ela mantém consigo a pedido do falecido marido Gabriel. Percebemos que essa relação pode até não ser unilateral, mas Alicia constrói um pedestal para o marido que talvez não seja tudo isso. Ainda pelo diário percebemos a visão de Alicia sobre os acontecimentos antes do fatídico dia do assassinato de Gabriel e sua visão de mundo e dos personagens secundários. A partir desse diário temos um mais conhecimento da Alicia, seus trejeitos e seu psicológico abalado, mas ainda não é o suficiente para saber se ela é a assassina ou não.

Já do outro lado temos a narrativa de Theo, que é mais ágil e incentiva melhor a imaginação do leitor. Os diálogos são mais coesos, as pistas vão sendo jogadas na mesa e começamos a construir um quebra-cabeça do que teria acontecido naquela noite. Theo, no entanto, não é um personagem que aparenta muita personalidade e carisma, mas seu background como um garoto vindo de família problemática e problemas de saúde mental o torna mais interessante. Também é em sua narrativa que vemos um pouco mais da sua vida pessoal, casamento, relacionamento com outros funcionários, etc. E minha dica é: não deixe nada passar despercebido.

O thriller de estreia de Alex Michaelides é muito interessante e diferente de outras resenhas que li, não achei previsível. O mais interessante do livro é como ele trabalha os traumas psicológicos desde a infância e o papel que desempenham no desenho da personalidade e atitudes do indivíduo. Nunca subestime o impacto da psicologia na construção de uma boa história.

Apesar de ter gostado dos personagens e das histórias que os influencia eu não me apeguei a nenhum, acho que faltou algo a mais no desenvolvimento deles, mas para ser justa eles me fizeram sentir diversas emoções: raiva,tristeza, compaixão, perplexidade. Os personagens secundários, no entanto, são ainda mais parcamente construídos. Vemos um pouco de Gabriel, muito mais pela visão de Alicia (e que para mim é meio deturpada) e outros personagens da vida dela como seu primo Paul e amigo Jean-Feliz. Nenhum com grande impacto. Já os personagens secundários da trama de Theo são mais ativos, você tem um psiquiatra metido, Christian, o irmão de Gabriel, Max (muito suspeito) e Katy, a esposa e razão de vida de Theo. Algo que ele e Alicia compartilham bem, essa visão idolatrada e salvadora de seus parceiros românticos.

O desenvolvimento da trama correu bem, nos faz questionar sobre as intenções de todos, o mistério por trás dos quadros de Alicia, especialmente o Alceste e tudo é construído perfeitamente, não há pontas soltas. O principal questionamento que fica é “por que ela não fala?” e isso é respondido de forma maestral e simbólica. A descoberta final foi sendo apontada durante a narrativa, então não fiquei surpresa com as respostas para morte de Gabriel, mas sim com a proporção que ela tomou e mais uma vez repito como a construção psicológica dos personagens é incrível e essencial para desvendar o caso.

No geral, o livro é um ótimo exemplar do seu gênero, nada tão complexo, mas fluido e que desperta curiosidade até o fim. Devo deixar uma ressalva pessoal: as últimas falas/linhas foram um pouco desapontantes. Queria ter visto consequências mais explícitas. No entanto no geral, é um bom livro, nada de tirar o fôlego, mas indico principalmente para iniciantes e amantes das artes dos thrillers psicológicos.

COMPRE AQUI

ISBN-13: 9788501116437 | ISBN-10: 8501116432 | Ano: 2019 | Páginas: 350 | Editora: Record

Alex Michaelides: Nascido no Chipre e filho de um pai greco-cipriota e uma mãe inglesa, ALEX MICHAELIDES estudou Literatura inglesa na Universidade de Cambridge e fez uma pós em Roteiro de Cinema no American Film Institute, em Los Angeles.

About Author

Pernambucana arretada de 22 anos que ama o incrível universo da literatura e todos os universos e possibilidades que ela pode abrir para você. Publicitária durante o dia e caçadora de vampiros e forças do mal à noite, entre uma coisa e outra estou sempre carregando um bom livro na bolsa. Também apaixonada por séries, filmes e tudo que me leve a uma aventura, e enquanto tento escrever minha própria história, também escrevo para vocês aqui no Pausa!

1 Comment

  • LINDINALVA DA SILVA FERREIRA
    26 de março de 2020 at 23:05

    Estava na duvida se leria o ou não esse livro mais depois dessa resenha me deu uma vontade imensa de ver no que vai dar essa historia.

    Reply

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.