Menu
Literatura Nacional

Marvel apresenta super-heroína muçulmana

A Marvel anunciou que em fevereiro de 2014 vai estrear uma nova série Ms. Marvel, com uma heroína islâmica super-poderosa.

MsMarvelNow

 

Seu nome é Kamala Khan e ela é uma garota de 16 anos, fã da Capitã Marvel – antiga Ms. Marvel – que sofre com a pressão das imensas expectativas que seus pais tem a seu respeito. O representante de imprensa da Marvel afirmou que “vai ser um desafio ao núcleo dos valores conservadores”.

A nova Ms. Marvel já vai aparecer em uma edição especial em janeiro antes do seu debut oficial em fevereiro.

Lembrando que Kamala não é a primeira personagem de descendência árabe a aparecer em quadrinhos na linha mainstream.

muslim_superhero_simon_baz_AP452006531438_620x350

No ano passado, a DC nos trouxe um novo Lanterna Verde, Simon Baz, que, em sua infância pós 9/11 sofreu, junto com sua irmã, recorrentes ataques de bullying devido a sua etnicidade. A história apresenta algumas outras referências ao tema, como quando Simon tenta salvar as pessoas da cidade levando uma bomba para um local abandonado e é confundido com um terrorista. Isso antes de se tornar um super-herói. Esse ano, Baz se juntou a Liga da Justiça.

 

About Author

Criadora do @pausaparaumcafe, social media, formada em marketing, rata de biblioteca, intolerante à lactose e a pessoas de mau humor.

1 Comment

  • Nicolas Ueda
    9 de novembro de 2013 at 08:40

    Eu sempre comento que essas ações de mercado das grandes indústrias dos super-heróis já está bem batida. Não entro em questão de qualidade, porque, por exemplo, eu li alguns volumes do aranha Miles Morales e gostei. O que me incomoda mesmo é que acho que pouco importa a nacionalidade ou seja lá qual for a diferença do novo personagem, ele não vai ter uma presença marcante comparado ao alter ego original, e acaba que um tempo depois sempre acabam fazendo de conta que a mudança nunca aconteceu e trazem os figurões de volta.

    Eu defendo a ideia de criar novos nomes, novos heróis, ai sim com seja qual for sua etnia, nacionalidade, opção “sescual”, etc. Talvez não seja uma solução muito lucrativa, mas acredito que daria uma individualidade e diferencial a esses novos rostos.

    Reply

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.