Menu
Top5

Quatro palestras essências do TED

Se você acompanha nosso blog, ou canal do YouTube, já deve ter recebido indicações para ler e ouvir Chimamanda Ngozi Adichie. A escritora nigeriana além de escrever ficções incríveis tem suas palestras realizadas no TEDx transcritas e publicadas pela Companhia das Letras. Mas, que tal conhecer outros discursos que inspiram e conscientizam? Separamos quatro vídeos incríveis da plataforma que debatem questões contemporâneas.

Se você não conhece os livros, ou quem é Djamila Ribeiro, precisa assistir ela alertando sobre os silêncios. A filósofa brasileira trazendo como referência feministas negras discute sobre a pluralidade e como institucionalmente grupos de minoria representativa são calados para que haja apenas uma voz única. Em dez minutos a pensadora cria uma reflexão sobre a norma branca- masculina e hierarquização de quem pode ou não falar.

Diversos termos pejorativos são usados contra a comunidade LGBTQ+. Felizmente a homofobia foi criminalizada, porém, os discursos de ódio persistem. Marlon Parente ocupa o auditório da Universidade Federal de Pernambuco e conta sobre sua infância, adolescência e juventude tendo que lidar com sua sexualidade e com as agressões por conta dela. O criador de “Bichas, o documentário” narra como através de um amigo começou a usar o termo como forma de resistência e afirmação.

Nátaly Neri usou seu espaço no TEDx São Paulo para falar sobre a sexualização da mulher negra. Mulata: cruzamento de asno com égua, termo também usado para identificar filhxs dos estupros dos senhores as suas escravas. Nátaly parou de odiar seu corpo magro e abandonou o desejo de ser o que esse termo racista representa atualmente. A feminista acrescenta a discussão sobre a senzala do século XXI e alerta sobre como as estruturas do racismo faz as pessoas negras se odiarem.

Já ouviu falar sobre o termo interseccionalidade? A doutoranda Carla Akotirene discuti esse conceito de forma clara e com diversas referências no quinto volume da coleção Feminismos Plurais. Mas, apensar da interseccionalidade já ter sido trabalhada por feministas negras só recebeu seu conceito pela Kimberlé Crenshaw ao analisar uma denúncia de mulheres negras sobre uma indústria que recusaram contratá-las. É necessário entender que a opressão não é feita somente por raça, classe ou gênero. A vítima é posta em uma encruzilhada identitária onde diversas formas de opressão se cruzam.

Qual pretende assistir primeiro e o que nos recomenda? E se você tem interesse em conhecer mais palestras do TED há uma postagem criada pela Yasmin Oliveira. Ela listou cinco vídeos da plataforma que podem te inspirar na criatividade e escrita!

About Author

Comandante do Flexibilidade e Amor e criador de conteúdo em todos lugares possíveis. Caminha a 17 anos e sonha em ser imortal. Amante de tudo que pode ser amado, apaixonado por Glee e seres humanos. Cria conteúdo porque tem necessidade de contar o que descobre, compartilhar tudo que gosta e ter o direito de opinar. Pessoa maravilhosa!

1 Comment

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.