Menu
Literatura

[Resenha] 1984 de George Orwell | @cialetras

 1984

Autor: George Orwell
Tradução: Alexandre Hubner, Heloisa Jahn
Posfácio : Ben Pimlott, Erich Fromm, Thomas Pynchon
Capa: Elisa Cardoso, Kiko Farkas
Editora: Companhia das Letras
Edição: 1
Ano: 2009
Especificações: Brochura | 416 páginas
ISBN: 978-85-3591-484-9

Compare Preços De: R$ 27,63 até: R$ 42,00

Sinopse: Winston, herói de 1984, último romance de George Orwell, vive aprisionado na engrenagem totalitária de uma sociedade completamente dominada pelo Estado, onde tudo é feito coletivamente, mas cada qual vive sozinho. Ninguém escapa à vigilância do Grande Irmão, a mais famosa personificação literária de um poder cínico e cruel ao infinito, além de vazio de sentido histórico. De fato, a ideologia do Partido dominante em Oceânia não visa nada de coisa alguma para ninguém, no presente ou no futuro. O’Brien, hierarca do Partido, é quem explica a Winston que ‘só nos interessa o poder em si. Nem riqueza, nem luxo, nem vida longa, nem felicidade – só o poder pelo poder, poder puro.’

Resenha do Livro 1984

Você já sentiu uma grande dificuldade para falar de algum livro? Ou melhor, já soube exatamente o que tinha que falar mas não encontrou as palavras certas?

Me vi assim para falar de 1984. Já fazem alguns dias que terminei a leitura desse clássico, mas já tinha algumas resenhas programadas, teria até mesmo algumas que deviam sair na frente dessa, mas não aguentei. Tinha que vim falar desse livro que explodiu minha cabeça ao longo da leitura.

“Os melhores livros, compreendeu [Winston], são aqueles que lhe dizem o que você já sabe.” Fonte: BlogIcultGen

Ouvi milhares de vezes sobre 1984, em várias rodas de conversas, em vários sites literários, em vários podcasts de literatura, mas quem foi o culpado realmente por me fazer querer o livro, foi o pessoal do Jovem Nerd em um podcast sobre o livro.

Lá eles debatem sobre a obra de George Orwell, pseudônimo de  Eric Arthur Blair. O livro foi publicado em 1949, alguns meses antes da morte do autor e retratava como George imaginava o futuro. No caso como seria em 1984.

Fonte da Imagem: http://super.abril.com.br/

O livro não tem uma leitura fácil. É cansativo, é ‘massante’. Mas esse não é um ponto que vai te fazer falar “Ah não quero mais ler esse livro”. Pelo contrário, é o que eu sempre digo. Existem livros que devem ser degustados e não devorados.

Eu não pensei que fosse gostar tanto do livro. Pensei que seria mais um clássico que seria bom por seu conteúdo, mas que não pudesse mexer tanto com meu “instinto literário”. Mas me enganei. Me enganei completamente.

1984 não só explodiu minha cabeça com suas críticas e análises sobre a sociedade, ele me fez parar, pensar analisar. Me perder em pensamentos e questionamentos.

“A teletela recebia e transmitia simultaneamente. Todo som produzido por Winston que ultrapassasse o nível de um sussurro muito discreto seria captado por ela; mais… enquanto  Winston permanecesse no campo de visão enquadrado pela placa de metal, além de ser ouvido também poderia ser visto. Claro, não havia como saber se você estava sendo observado num momento específico. Tentar adivinhar o sistema utilizado pela Polícia das Ideias para conectar-se a cada aparelho individual ou a frequência com que o fazia não passava de especulação…” Fonte:BlogIcultgen

Me vi a frente de um livro visionário, um livro que poderia ser revolucionário para a sua época, e com toda certeza, é um livro revolucionário para 2012.

E acho, sinceramente, que não importa se estamos em 1900, 2000 ou 3000. George Orwell escreveu a sociedade, mutável mas ainda sim, apresentando graves sintomas da mesma escravidão.

O livro retrata não só o mundo dominado por uma sociedade onde não se tem mais privacidade, mas onde escolhem tudo para você. Onde todos os “camaradas” devem ser seguir as regras impostas pelo Grande Irmão. Afinal ele está te observando. 24h por dia.
Você deve aprender a falar diferente, não se lembrar de sua própria história porque seus dados estão sendo modificados, dia após dia. Você não deve pensar. Cuidado. A polícia das ideias pode estar atrás de você nesse exato momento. Seus próprios filhos são treinados a denunciar você, caso você venha a apresentar algum sinal suspeito.

O mundo assusta. E quem será capaz de ir contra tudo? Eu queria saber de você!

1984 de George Orwell leva 5 xícaras de cafés quentinhos e super merecidos! Leiam. Esse é realmente um clássico que vale a pena!

– Aproveite para participar do #TOPComentarista de Agosto comentando nesse post!

Ps: para não ter que tirar o livro da estante, copiei as frases da resenha já feita pelo blog ICultGen. Que por sinal tem uma resenha muito boa sobre o livro tbm!

About Author

Criadora do @pausaparaumcafe, social media, formada em marketing, rata de biblioteca, intolerante à lactose e a pessoas de mau humor.

4 Comments

  • Jamile Pino
    22 de agosto de 2012 at 12:43

    Esses livros mais antigos que retratam temas atuais são os meus preferidos, apesar da dificuldade de ler alguns como vc citou na resenha. Acho que vale a pena o ‘esforço’ e o leitor sempre acaba aprendendo alguma coisa.

    Reply
  • Carolina Moniz
    5 de setembro de 2012 at 17:32

    Este sim é um incrível clássico que deveria ser lido por todos!
    Eu li “A Revolução dos Bichos” para a escola e acredito que se tivessem pedido 1984 ao invés do outro ele abriria muitas portas a leitura aos alunos ignorantes da minha sala’ shaushaushausha
    Mas é mesmo!

    Reply
  • Beatriz
    25 de julho de 2013 at 23:23

    Não se pode ter preguiça para fazer uma resenha. Se vc tem, não tenha um site de resenhas. Por mais que vc tenha citado as fontes, por favor. Será que vc realmente leu o livro ou se baseou nas resenhas de outros?

    Reply
    • Anna Schermak
      25 de julho de 2013 at 23:41

      Olá Beatriz, nossa faz tempo dessa resenha.
      Acho que não é se basear. Eu escrevi essa resenha depois de ter saído de um “Clube do livro” sobre o livro então minha mente estava cheia de vários pensamentos e não só meus.
      E em momento algum eu disse que estava com preguiça. Só que é justamente complicado falar sobre esse livro. Ele é um clássico e quando é um livro assim, qualquer julgamento é baseado em outras opiniões que ouvimos durante a nossa vida.

      Em nenhum momento o Pausa é um blog mais denso e complicado, estudando algum livro.
      Ele é um blog sobre a minha opinião pessoal. Algo que eu quero falar na hora.

      Agradeço seu comentário. Essa nunca foi minha melhor resenha e é bom ver as antigas para saber como a gente pode mudar e melhorar. Críticas e sugestões são sempre bem vindas e quando quiser pode enviar seus comentários direto por email. (anna@pausaparaumcafe.com.br)

      Abraços!

      Reply

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.