Menu
Literatura

[Resenha] A Cor do Leite de Nell Leyshon | @BertrandBrasil

Sinopse: em 1831, uma menina de 15 anos decide escrever a própria história. mary tem a língua afiada, cabelos da cor do leite, tão brancos quanto sua pele, e leva uma vida dura, trabalhando com suas três irmãs na fazenda da família. seu pai é um homem severo, que se importa apenas com o lucro das plantações. contudo, quando é enviada, contra a sua vontade, ao presbitério para cuidar da esposa do pastor, mary comprovará que a vida podia ainda ser pior. sem o direito de tomar as decisões sobre sua vida, mary tem urgência em narrar a verdade sobre sua história, mas o tempo é escasso e tudo que lhe importa é que o leitor saiba os motivos de suas atitudes. a cor do leite apresenta a narrativa desesperada de uma menina ingênua e desesperançosa, mas extremamente perspicaz e prática. escrito em primeira pessoa e todo em letras minúsculas, o texto possui estrutura típica de quem ainda não tem o pleno controle da linguagem. a jovem narradora intercala a história com suas opiniões, considerados por alguns críticos os trechos mais angustiantes da obra. ·

 “Um livro sobre o abuso de poder e a supremacia masculina. O projeto ambicioso de Nell Leyshon demonstra um poder imaginativo singular.” – The Independent

eu me chamo Anna e estou escrevendo isso no ano de dois mil e quatorze do nosso senhor e o que eu tenho pra contar é algo que vai mudar a nossa vida,
mas eu preciso te contar, e é por isso que eu estou escrevendo, mas você vai entender quando chegar ao final.
eu me chamo Anna e estou escrevendo isso com minhas próprias mãos.

IMG_8861

Você pode não entender direito a forma com que eu comecei a escrever essa resenha, mas eu quis começar assim para entrar no clima do livro.

Mary é uma moça muito peculiar, de uma época que nós só conhecemos dos livros, filmes e histórias e aqui… ela nós dá algo novo. A visão de uma menina virando mulher, aprendendo sobre um mundo que existe dentro dela e precisando lidar com a consequência de ações que muitas vezes, não são dela.

IMG_8860

A Cor do Leite é um daqueles livros que te apresentam uma protagonista pronta para  te surpreender, com um jeito sincero, único e transformador, Mary é uma heroína digna de entrar para a história dos livros históricos. E se você me perguntar uma personagem que eu admiro, Mary vai estar no topo da lista, com seus cabelos cor de leite e sua vontade por contar a sua história, que todos aqueles que conhecem, jamais vão esquecer.

Mary nos relata uma história com simplicidade e de uma forma totalmente diferente, da forma com que alguém que conhece o mundo, mas não aprender tudo sobre a escrita, poderia nos contar.

Nell demonstrou sua habilidade de escrita em todos os pontos dessa história, a forma com que entendemos a personagem principal é quase sobrenatural, tudo se passa a um toque de nossas mãos e se eu chorei com Carta de Amor aos Mortos, aqui eu morri em cada revelação para encontrar um pouco da minha humanidade e me compadecer dos sentimentos daquela menina que foi a mais corajosa verdadeira de todas as personagens que já li.

IMG_8862

A Cor do Leite é um livro excepcional, extraordinário e merece que todos tenham a oportunidade de lê-lo. Uma leitura forte, cativante e ao mesmo tempo inspiradora. Nell é uma escritora que pode entrar para  a história da literatura se continuar a explorar esse talento em cotar histórias de um jeito impecável e interessante.

IMG_8865

Como já disse, A Cor do Leite é contado e escrito de uma forma diferente e até mesmo exótica, mas fotos vocês podem perceber que a diagramação ajuda para que o leitor perceba e viva isso.

IMG_8864
IMG_8863

Edição: 1 | Editora: Bertrand Brasil | ISBN: 9788528615814 | Ano: 2014 | Páginas: 208

Nota: 5/5

Comprar: Saraiva |  Livraria da Folha

Aproveite para nos seguir nas redes sociais!
Facebook Instagram Twitter Tumblr Google +

post

About Author

Criadora do @pausaparaumcafe, social media, formada em marketing, rata de biblioteca, intolerante à lactose e a pessoas de mau humor.

2 Comments

  • Raquel Moritz
    18 de agosto de 2014 at 12:25

    Eitaporra, que tenso. Primeiro que achei massa as letras minúsculas. Um detalhezinho tão pequeno, mas que dentro da própria história pode ter um significado próprio. Bom saber que um livro tão curtinho te surpreendeu tanto, e te conquistou assim. 🙂

    Beiijo!

    Reply
  • Theo
    15 de fevereiro de 2015 at 21:42

    Oi, comprei o livro físico pela internet. Estou à espera. Alguém pode me passar o link pra baixar??? Por favor

    Reply

Deixe uma resposta para Theo Cancel Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.