Menu
Literatura

[Resenha] A Pousada Rose Harbor de Debbie Macomber |@Novo_Conceito

Por Dani Voltolini

Jo Marie Rose decide comprar uma pequena pousada, como forma de superar a morte do marido. Mal sabe ela que as surpresas que a esperam nessa nova empreitada. 
Seu primeiro hóspede é Joshua Weaver, que voltou para casa para cuidar de seu padrasto doente. Os dois nunca se conheceram pessoalmente e Joshua tem alguma esperança de que possam conciliar suas diferenças. No entanto, uma habilidade de Joshua há muito perdida prova que o perdão nunca está fora de alcance e que o amor pode florescer onde menos se espera. 
A outra hóspede é Abby Kincaid, que retorna a Cedar Cove para comparecer ao casamento do irmão. De volta pela primeira vez em 20 anos, ela quase deseja não ter ido, devido às memórias trazidas pela pitoresca cidade. E conforme Abby se reconecta com sua família e seus velhos amigos, percebe que só pode seguir em frente se permitir-se verdadeiramente a isso.

A Pousada Rose Harbor, de Debbie Macomber, um livro sereno, com uma narrativa  muito boa, um ritmo de leitura bom, mas que não é pra qualquer um ler.

Sim, esse livro foi um desafio pra mim, mostrando que não basta saber escrever pra fazer um livro que agrade todos. A senhora Macomber é excelente no que faz, ela realmente tem o dom de escrever e criar uma história cheia de emoção, fácil de arrancar lágrimas, e com desfechos previsíveis, mas emocionantes.

2013-05-01 00.45.47

Em A Pousada Rose Harbor temos a história de três personagens: a primeira, e principal, é Jo Marie, a nova moradora de Cevar Cove e proprietária da pousada por ela batizada de Rose Harbor. Temos uma personagem quebrada internamente pela morte de seu marido, e como última forma de aliviar a dor ela abandona a sua antiga vida apostando tudo nessa cidadezinha aconchegante.

Como primeiros hóspedes, Jo tem Josh e Abby, ambos antigos moradores da cidadezinha. Porém ambos, assim como Jo, estão quebrados internamente, e relutam em voltar para Cedar Cove, pois lá é a fonte de seu sofrimento.

Josh retorna a cidade em busca de pertences de sua mãe, todos sob proteção do seu padrasto, que encontra-se à beira da morte. Durante a adolescência, após a perda da mãe, ele e seu padrasto tem uma relação difícil, e ele é expulso de casa. Encarar seu padastro novamente não será fácil, ainda mais porque essa relação moldou o seu caráter e a sua propensão a não criar raízes.

Abby, retorna devido as festividades do casamento do seu irmão, porém tem pânico do que as pessoas podem dizer do seu retorno depois do acidente que ela se envolveu anos atrás. No acidente sua melhor amiga morreu, e ela foi culpada pela tragédia. Desde então a sua vida foi só pesar e ressentimento.

2013-05-01 00.46.24

Bom, os três tem uma carga emocional muito grande, muito mesmo! Em algumas passagens a garganta tende a dar um , e as lágrimas podem aflorar facilmente. As narrativas de Jo Marie sobre o seu marido Paul Rose são lindas! Lindas e tristes.

O mais importante é que os três buscam a paz, e acabam descobrindo que a pousada pode fornecer isso a eles, dando calma e segurança para eles fazerem o que tem que ser feito e assim tocar a vida adiante.

Confesso que guardarei esse livro pra ler quando tiver uns 40 anos. Acho que na ocasião apreciarei mais a história e me emocionarei mais.

“Algumas pessoas ficam tão acostumadas ao peso extra que parecem não ter mais consciência dessa bagagem” – Jo Marie

O livro é muito bonito, a capa é bem serena e as páginas são em sua totalidade emolduradas com um raminho de rosas, super fofinho! Meus agradecimentos à Novo Conceito, com seus livros caprichados e levinhos.

Com isso, minha nota para A Pousada Rose Harbor fica em 3,6 xícaras de café. Se você gosta de um bom romance, essa é a escolha certa pra você!

Ah! E vale lembrar que se você sabe tricotar, nos anexos do livro tem um guia para fazer uma chale da Jo Marie.

2013-05-01 00.47.33

Compre aqui, por R$ 24,90!

Assista ao book trailer:

[youtube id=”1KixoNa4nNc” width=”600″ height=”350″]

About Author

Dani. Um ser estranho e recluso, no auge dos seus 23 anos, vivendo na Rivendell catarinense (só que mais quente). É engenheira de formação (só falta o diploma, ok?), leitora compulsiva e colecionadora de hqs. Ama fantasia, ficção científica, literatura técnica e abraços quentinhos.

2 Comments

  • Cris Aragão
    5 de Maio de 2013 at 02:39

    Acho que gostaria de ler esse romance, apenas teria que escolher o momento certo para ele. Esse é o tipo de livro que requer um estado de espírito muito particular, se eu não não estiver na sintonia certa não vou conseguir apreciar a leitura.

    Reply
    • Dani Voltolini
      5 de Maio de 2013 at 15:37

      Concordo plenamente, Cris! É um livro lindo, mas que exige um estado de espírito diferenciado para que se aproveite 100%. Mas eu super indico ;D

      Reply

Deixe uma resposta para Cris Aragão Cancel Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.