Menu
Literatura

[Resenha] Adeus Facebook de Jack London | @EdValentina

Parar e pensar sobre como as novas tecnologias transformarão o mundo parece algo impossível de se fazer. Sempre preocupadas em atualizar o status online, cada vez mais as pessoas têm menos tempo livre. Além disso, a natureza volátil das redes sociais permite que tudo nessas plataformas possa mudar de um dia para o outro. Este novo cenário já alterou a forma de empreender tanto no Brasil quanto no mundo. Empresas como o Google e o próprio Facebook surgiram do nada e hoje são gigantes no mercado, enquanto outras que eram consideradas quase infalíveis tiveram que se readaptar para não morrer. A forma de empreender mudou. Ao mesmo tempo, as marcas nunca estiveram tão conectadas com seu público e a criatividade não tem limite. Barreiras linguísticas e geográficas estão ficando sem importância, e aquele que deseja empreender deve saber que seu público alvo pode estar do outro lado do mundo, da mesma forma que seu concorrente direto. Surgiram startups com sucesso em um dia e desastre noutro. Quantas empresas conseguiram, de fato, se manter no mercado com mais de 1 ano de existência? Como aprender com elas para não cometer os mesmos erros? O escritor Jack London, considerado em um levantamento feito pelo site IDG NOW como um dos 10 nomes mais importantes da internet no Brasil, vem acompanhando de perto todos esses processos em sua coluna sobre empreendedorismo na revista Pequenas Empresas, Grandes Negócios e agora, com essa coletânea de seus mais instigantes artigos, aulas e palestras, podemos traçar com detalhes o panorama atual da nossa sociedade: digital, imprevisível e mutante. Adeus, Facebook – O Mundo Pós-Digital fala sobre o que está acontecendo no mundo digital, sobre o futuro das redes sociais e sua influência em nossas vidas, como o Brasil lida com essa nova realidade e como empresas e empreendedores podem usar isso em seu favor. O livro ainda nos remete a algumas perguntas essenciais e nos faz questionar: O que nos espera quando todo esse sistema entrar em crise? É possível imaginar o futuro?

Esse foi o primeiro livro que li, agora com a parceria com a editora Valentina. Eu escolhi ele por ser sobre um assunto do qual eu conheço: Redes Sociais. Afinal, trabalho a 4 anos como Social Media, me formei em Marketing e meu tcc foi sobre o Comportamento de Compra dos Consumidores da Cultura Pop na Internet.

Jack London é um daqueles caras que você sempre quis conhecer (pelo menos eu quero). E não é só porque ele é pai do Jimmy do Matanza (é essa vocês não sabiam né?), mas porque ele é um cara pioneiro na internet brasileira. Foi ele quem “fundou” o Submarino, ele criou o site e vendeu o site booknet.com que seguinte a isso virou o nosso tão conhecido Submarino.

Aqui em Adeus Facebook um livro que consegui misturar a parte técnica, um pouco de auto ajuda empresarial e previsões sobre o futuro, Jack trabalha algo muito sério de forma descontraída até mesmo com um capítulo com o título “Me Serve, Vadia!”.
Conversamos aqui sobre o futuro não só das redes socias, do facebook, mas do futuro dos negócios online. Dos ecommerces e do formato de vida online que conhecemos.

Com uma volta no tempo lembramos de vários sites e cruzamos dados com pesquisas citadas para reparar que o mundo vive em constante mudança e apesar de muita coisa estar mudando, nada mais é como era no final de 2013. Em constante mudança e baixo crescimento de sites como facebook o mundo digital se transforma em um monstro que nós não sabemos mais onde vai parar ou no que vai se transformar.

Se alguns reclamaram quando o orkut acabou, podemos esperar mais um ano para que um novo gigante transforme o facebook em um site apenas para aqueles saudosistas que vão lembrar que um dia os grupos do facebook era algo maravilhoso assim como os depoimentos do orkut.

Confesso que não concordo com uns 30% do que London fala em seu livro, mas o mais interessante é que ele me fez pensar muito, pensar muito sobre o negócio de cada cliente que trabalho para puder sugerir novas oportunidades e trabalhos diferentes. E não só para os clientes. Isso me fez pensar no Pausa e em que está sendo fundamentado para crescer.

A parte do livro dedicada para os empresários foi a que mais gostei. Eu sempre quis ser uma líder, ter o meu negócio. E essa parte me fez pensar muito.
O livro é muito bom para quem trabalha com internet ou pensa em ir para esse ramo, só espero que não feche o livro achando que o mundo vai acabar, que está acontecendo o apocalipse da internet. Use o livro para se alertar e boa leitura!

Como ele é um livro mais técnico, vou manter 3 xícaras de café quentinho para ser justa 🙂 

About Author

Criadora do @pausaparaumcafe, social media, formada em marketing, rata de biblioteca, intolerante à lactose e a pessoas de mau humor.

6 Comments

  • Ize Chi
    19 de julho de 2013 at 23:57

    “ele é pai do Jimmy do Matanza (é essa vocês não sabiam né?)”

    “Foi ele quem ‘fundou’ o Submarino, ele criou o site e vendeu o site booknet.com”

    Peraí… Estamos falando do mesmo Jack London? O que escreveu “Caninos Brancos”, “Chamado Selvagem” e “O Lobo do Mar”…?

    Reply
    • Anna Schermak
      20 de julho de 2013 at 00:10

      Oi Ize, não estamos hehehe
      O Jack London do Adeus Facebook é esse Sr. Aqui: http://www.skoob.com.br/autor/9144-jack-london
      Já o Jack que você está falando é o pseudônimo do autor John Griffith Chaney que morreu em 1916 🙂

      Reply
      • Ize Chi
        20 de julho de 2013 at 14:26

        Ah, sim! rsrs
        Não posso negar que tomei um susto… Só conhecia o Jack London “original” (do qual, by the way. AMO os livros – em especial “Caninos Brancos” –, e indico piamente para uma resenha pelo blog!). Nem sabia que tínhamos um brasileiro (muito menos sendo o pai do Jimmy!).

        Obrigada pelo esclarecimento ^^

        Reply
  • Mateus Bittencourt
    20 de julho de 2013 at 05:17

    Corrija-me seu eu estiver errado quanto a minha percepção sobre o livro, mas eu sempre fico com o pé atrás com livros que tentam fazer previsões de tendências, seja na internet, mercado consumidor, mercado financeiro, etc.
    Não há como prever o comportamento humano. Ninguém podia imaginar a migração em massa que ocorreu em 2010/2011 do Orkut pro Facebook, por exemplo.

    Na minha opinião, falar que a bolha vai estourar é igual falar que vai chover no verão. Todo mundo sabe que vai acontecer, é esperar, ver a intensidade e se aconteceu algum desastre, tentar concertar.

    O Facebook vai acabar pelo simples fato de que nada é eterno. Pode ser em três meses, três anos ou três décadas…

    Agora, se o livro não se foca tanto em projeções e sim num mercado atual, um livro desses pode ser muito importante para as empresas se situarem em um novo mundo digital de rápidas mudanças.

    Reply
  • Paola
    26 de julho de 2013 at 22:10

    Anna, te confesso que acho Marketing uma profissão desafiante, afinal você precisa lançar tendências e estar sempre um passo a frente do que é comum, e que todo mundo já conhece/usa (no caso de redes sociais). Mas como já comentei contigo, adoro ler sobre coisas que não conheço, e principalmente sobre livros técnicos, por que é uma forma de saber mais sobre o “trabalho” das blogueiras/os que acompanho.
    A resenha tá bem clara, salientando os pontos que tu gostou e destacando tua opinião. Lola curtiu isso ~o/
    Voltando ao livro, não sou muito fã de livros que querem “prever” o futuro de grandes empresas, e talvez em um futuro não muito distante eu pegue ‘Adeus, Facebook’ para ler. E depois vou comentar contigo minhas teorias sobre o futuro do mundo digital õ/

    Beijocas ;*
    @pirulitolimao

    Reply
  • André
    2 de abril de 2014 at 16:03

    Tive a felicidade de participar de um evento hoje com essa lenda chamada Jack London.
    Palestra sensacional, domínio da palavra com propriedade e muita reflexão.

    Reply

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.