Menu
Literatura

[Resenha] BTOOOM! #01, de Junya Inoue | @editorajbc

Sinopse: Ryota Sakamoto é um desempregado que vive com a mãe e que passa o dia inteiro jogando um jogo online. Porém, certo dia, é abordado por homens que não conhece e despachado para uma ilha deserta! Ele descobre que foi jogado naquela ilha como um dos participantes de um jogo mortal usando explosivos, ironicamente idêntico ao “BTOOOM!”, o jogo no qual Ryota é viciado!! Que comece a partida mortal de videogame na vida real pela sobrevivência!!

“Você já ouviu falar de um jogo chamado BTOOOM!?

Você já ouviu falar de BTOOOM!? Ele é um dos lançamentos de Fevereiro da Editora JBC, o volume #01 chegou hoje mesmo aqui em casa e eu já corri ler para vocês, afinal acho que todo mundo que ouviu falar sobre ele, está tão ansioso quanto eu.

BTOOOM! É um mangá japonês que teve seu primeiro capítulo lançado em 2009 na revista Weekly Comic Bunch pela Shinchosha e possui 9 volumes compilados mais uma adaptação em anime feita pela Madhouse. E agora, chega as bancas brasileiras pela JBC com uma edição super interessante que vocês vão poder conferir nas fotos da resenha!

IMG_3179

Você gosta de jogar video game? Quantos jogos você tem na steam? Ou melhor… quantas vezes a sua mãe já gritou para que você  comece a fazer algo da vida e saia desse computador enquanto você não pode sair, afinal mãe… estou em uma partida online e não tem como “pausar”?

Isso acontece em toda as famílias e por aqui não é diferente. Piora mais quando eu e meu irmão resolvemos jogar algum jogo juntos, acredito que minha mãe não queria nem ficar em casa nesses momentos. É amor demais e também muita briga, afinal: “É MUITO DIFÍCIL ACERTAR AQUELE MALDITO?” .

IMG_3180

IMG_3173

IMG_3172

IMG_3182

Mas divagações a parte, hoje vamos falar de BTOOOM! que nessa primeira revista nos apresenta o jovem Ryota Sakamoto que está em busca de seu emprego dos sonhos em uma empresa desenvolvedora de games. O que não é tão fácil assim e vai ser só o início dos seus problemas.

Ryota não é perfeito, não tem uma vida fácil pelo que começamos a aprender sobre ele nesse primeiro quadrinho e também não tem muito respeito com a sua pobre mãe.  E isso me incomodou um pouquinho. Mas vou esperar para ver se isso tem motivos respostas no decorrer da história. Ryota além de não ser o filho exemplar consegue ser um dos melhores jogadores do jogo BTOOOM! Que é formado por alguns times que lutam em partidas online para derrotar seus inimigos e buscar  subir no ranking mundial.  Algo bem normal para a vida de um gamer, pelo menos até ai.

Em um dia, sem explicação (por enquanto) nosso gamer acorda em uma ilha sem saber como foi parar ali. Com uma mochila com comida e alguns explosivos. Logo ele descobre que está em um jogo de vida ou mote e vai precisar matar as outras pessoas da ilha para sobreviver.

O mangá desenvolve uma história já conhecida de filmes e séries. Dos mais atuais podemos citar Jogos Vorazes e dos meus preferidos, podemos citar Os Condenados ~ Black Betty começa a tocar na minha cabeça ~.  A ideia e proposta não são novas. Mas tem uma carga de tensão muito grande com o protagonista nesse primeiro mangá enfrentando sua consciência e o que ele realmente precisa fazer. Matar pessoas para sobreviver.

Esse ponto é sempre interessante nessas histórias de ação. E eu pergunto para vocês, o que vocês fariam? O mangá mostrou que vai trabalhar muito as estratégias utilizada pelos personagens e até mesmo a politica pessoal. Achei esse ponto muito interessante e pode fazer o quadrinho realmente ganhar um lugar no meu coração.

IMG_3177

IMG_3176

IMG_3175

IMG_3174

Eu gostei muito de ler esse primeiro volume principalmente por duas coisas: Com a idade classificativa de 18 anos, ele não se preocupa em o que você vai pensar se ele matar alguém com explosivo na sua frente. Você vai ter cenas fortes sim! E principalmente cenas bem detalhadas. O cenário de BTOOOM é apaixonante. Tem um quadro da história que eu não conseguia parar de olhar de tantos detalhes que tinham na floresta. Fiquei apaixonada e até tive que ir tirar as fotos para o mangá no quintal de casa.

IMG_3181

Nº Total de Edições: ainda em publicação no Japão | Formato: 13,5 x 20,5 cm | Páginas: cerca de 180 | Preço: R$ 12,90
Classificação etária: 18 anos

Comprar: Bancas | Site da Editora  | Made in Japan

autoresJunya Inoue trabalhou como diretor gráfico na indústria de games por 10 anos. Durante esse tempo, chegou a trabalhar de assistente na produção de um mangá baseado num jogo de RPG. Estreou como mangaká em 2001, e desde 2009 está produzindo seu título atual: BTOOOM!.

post

About Author

Criadora do @pausaparaumcafe, social media, formada em marketing, rata de biblioteca, intolerante à lactose e a pessoas de mau humor.

8 Comments

  • Gui Souza
    26 de fevereiro de 2014 at 12:38

    Gostei da rapidez com que você fez a resenha! +10 pontos para Grifinória XD
    A premissa é interessante, e o fato de ser 18+ dá muitas liberdades… Fiquei bem curioso pra ler!
    (Ótimo texto)

    :*

    Reply
  • Priscilla Brentan
    14 de Maio de 2014 at 16:33

    Oi Anna!
    Então, eu vi o anime e ODIEI e então passei longe do mangá… vc viu o anime? Gostou?
    Abraços!

    Reply
  • Nicolas Ueda
    31 de agosto de 2014 at 17:12

    Me lembrei do ótimo Battle Royale. 🙂

    Não sei o que faria numa situação dessas. Eu praticamente não teria o instinto de sobrevivência necessário pra matar outra pessoa, e praticamente ia me ferrar bonito por isso (assim como em um apocalipse zumbi, ou algo semelhante).

    Sobre cenários, isso é algo que gosto muito em mangás. Diverge bastante de autores e também gêneros, mas normalmente as obras sempre possuem cenários muito bem estruturados e detalhados, naquelas páginas duplas e tal. Eu adoro cenários de mangás/animes gênero “Slice of Life” (de temas mundanos). São muito bonitos. Tem até uma página que faz um paralelo de cenários de animes, com suas versões reais, é muito legal.

    http://www.otakupt.com/anime/localizacao-na-vida-real-do-anime-free/
    http://www.genkidama.com.br/mithril/2012/01/os-cenarios-de-ano-natsu-de-matteru-na-vida-real-2.html

    Reply
    • Anna Schermak
      31 de agosto de 2014 at 19:26

      Somos dois, acho que eu não consigo matar nem um rato, que dirá uma pessoa. uashdiusadhiuashdiuahuas
      Eu seria a primeira que seria desclassificada.

      Reply
  • Everton Fernandes
    22 de setembro de 2014 at 15:56

    Comecei a ler e, ao msm tempo, a assistir o anime.. eles seguem meio diferentes.. oq acabou m deixando em duvida de qual eu acompanharia primeiro ou talvez so ele (as vezes eu abandono uma das formas rs), e acabou q esqueci ele parado e nunca mais fui atras rsrs. Voce sabe se ja terminou de ser lançado o manga? Vou ver se consigo le-lo, pois desde o começo ja achei muito bom!!

    Reply
    • Anna Schermak
      23 de setembro de 2014 at 22:20

      Não assisti o anime, então não sei te falar, mas com certeza o pessoal da JBC pode te informar isso lá no twitter 😉

      Reply

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.