Menu
Literatura

[Resenha] Cuco de Julia Crouch | @Novo_Conceito

Tenso, amargo e imprevisível.

 

Cuco. O nome do livro parece quase sem graça, a capa dele dá a entender que é algo meio terror, a sinopse te deixa levemente intrigado. Qualquer um que tentar julgar esse livro sem ler vai acabar falhando, inevitavelmente. Julia Crouch criou nas 460 de Cuco, uma trama de suspense tão densa e sutil que o livro termina com um suspiro, não com um estouro.

A trama conta, basicamente, a história de duas amigas de infância: Rose e Polly. A primeira é uma mulher simples, bastante caseira, casada e com duas filhas. Polly é uma ex estrela do rock, recém viúva, com dois filhos e a personificação da palavra “exótica”. Elas são amigas desde sempre, e a impressão que tu tem é de que Rosa viveu por muito tempo na sombra da Polly, até que ela se casou com Gareth, Polly se casou e mudou-se para a Grécia. O grande ponto desse livro é que existem vários segredos que cercam as duas, coisas que só Polly sabe sobre Rose e coisas que ninguém sabe sobre Polly.

Quando o marido de Polly morre, ela pede abrigo temporário na casa de Rose. A partir do momento que ela se muda para lá coisas estranhas começam a acontecer, e não estranhas no sentido de sobrenaturais, coisas que Rose se recusa a acreditar que são culpa de Polly. E isso daqui é o máximo que eu consigo falar sem dar spoilers.

O livro não é de ação, você não tem grandes sequências de discussão ou algo assim. Tudo nele é sutil, são pequenas peças de quebra cabeças que se encaixam aos poucos, e quando tudo está completo você fica em um silêncio surpreso. Não é uma obra para quem busca uma leitura rápida, você vai parar, voltar, reler e tentar entender se o que aconteceu é o que tu pensa que aconteceu.

Vale lembrar que também rolam algumas cenas sexuais bem gráficas no livro, então eu não recomendaria para menores de 18 anos. Aliás, eu não recomendaria o livro num geral pro pessoal mais novo, tanto pelo ritmo do livro quanto pelas cenas mais pesadas (tanto de sexo quando sangue e algumas outras coisas mais nojentas mesmo).

Cuco é um livro para leitores já antigos, que leem bastante, e que procuram algo novo. É uma obra que vai te deixar tenso e com um gosto amargo na boca, mas incapaz de parar de ler.

Merece 5 xícaras de café.

Cuco – Julia Crouch

Polly é a mais antiga amiga de Rose. Então quando ela liga para dar a notícia que seu marido morreu, Rose não pensa duas vezes ao convidá-la para ficar em sua casa. Ela faria qualquer coisa pela amiga; sempre foi assim.

Polly sempre foi singular — uma das qualidades que Rose mais admirava nela — e desde o momento em que ela e seus dois filhos chegaram na porta de Rose, fica óbvio que ela não é uma típica viúva. Mas quanto mais Polly fica na casa, mais Rose pensa o quanto a conhece. Ela não consegue parar de pensar, também, se sua presença tem algo a ver com o fato de Rose estar perdendo o controle de sua família e sua casa.

Enquanto o mundo de Rose é meticulosamente destruído, uma coisa fica clara: tirar Polly da casa está cada vez mais difícil.


Compre Online: R$26,90

 

About Author

Criadora do @pausaparaumcafe, social media, formada em marketing, rata de biblioteca, intolerante à lactose e a pessoas de mau humor.

6 Comments

  • Gladys Freitas
    18 de janeiro de 2013 at 18:51

    Não sabia dessas cenas mais pesadas…

    Reply
  • Eduardo
    21 de janeiro de 2013 at 00:19

    Também não sabia das cenas mais pesadas… Já li outras resenhas e a história me interessou, mas vi algumas críticas sobre a própria edição (com mais erros que de costume) além de questionamentos em relação ao próprio enredo, em que a tolerância ou ingenuidade de Rose em relação a Polly chega mesmo a ser absurda. Por outro lado gosto de livros “cerebrais”, em que é preciso prestar atenção aos detalhes para compreender a trama e desvendar seus mistérios.

    Reply
    • Carolina Felten
      23 de janeiro de 2013 at 16:53

      O lance da ingenuidade da Rose é meio que válido, só que ontem eu parei pra pensar nisso e tipo… no começo é ingenuidade, mas depois é algo mais parecido com “como eu posso estar desconfiando da minha amiga? eu sou uma péssima pessoa!”, quando ela repara que ela tinha razão em desconfiar da Polly já é tarde demais, a vida dela já está toda zoada e ela não consegue se livrar mais da situação. É um livro muito bom, vale muito a pena ler!

      Reply
  • Gleice Couto
    21 de janeiro de 2013 at 14:30

    Não dava nada pelo livro… Tá pegando poeira aqui na minha estante, mas pela sua resenha, parece ser um livro bom. Ao menos, maduro. Gosto disso. Pensar faz bem, e ultimamente, isso tem sido tão difícil na literatura atual….rs

    Beijooooos

    Gleice
    http://www.murmuriospessoais.com

    Reply
  • JessicaLisboa
    24 de janeiro de 2013 at 22:48

    Apesar de não estar tão ansiosa pra ler o livro, tenho a leve curiosidade de o ler. O livro é completamente o oposto que eu pensava, ele era tudo menos um livro de gênero suspense. Fiquei muito curiosa para saber sobre a Polly ela parece ser o ótimo de personagem que tem uma mente complexa.Alem de Rose e Gareth com seus segredos. Esse livro já esta na minha lista de desejados.

    Reply
  • Clara Beatriz
    26 de janeiro de 2013 at 18:39

    Nossa, sou louca para ler este livro. A resenha só me deixou mais curiosa! Com certeza vou lê-lo se tiver a oportunidade!

    Reply

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.