Menu
Literatura

[Resenha] Real, Louco, Mortal de Hannah Jayne | @EditoraNacional

Sinopse: Sawyer Dodd sempre desperta inveja por onde passa: é uma excelente aluna, uma atleta dedicada e é a namorada de Kevin Anderson, o sonho de consumo de qualquer garota! Mas, quando Kevin morre num trágico acidente de carro, e ela encontra em seu armário um enigmático bilhete que contém apenas a inscrição “De nada”, Sawyer vê seu mundo virar de cabeça para baixo.
Alguém sabe o que Kevin fazia com ela. Alguém sabe que eles não eram o casal perfeito que pareciam ser. E esse alguém é um assassino que está no encalço de Sawyer, acompanhando todos os seus movimentos… Mortes, intrigas, perseguições, em uma narrativa alucinante onde ninguém é o que parece ser!

“Um galho quebrou atrás dela, e Sawyer prendeu a respiração, com medo de se virar – e com medo de não se virar…” 

Todos nós temos segredos.

O problema se torna grande quando pensamos que podemos guardá-los para sempre. Na vida, haverá, por todo tempo, grandes olhos em volta das suas ações. Estejam eles ali para julgar ou para, simplesmente, fazer-se palanque para que ninguém fique de fora. Quem nunca fez algo que se arrependeu e torceu para que a história morresse ali? Todos nós já fomos adolescentes…

Nada disso é diferente para Sawyer Dodd. Ela é uma garota normal, numa vida normal, com um namorado popular. Ela, também, tem os seus segredos. Tudo se torna insuportável quando, um dia, o seu namorado morre (ou é assassinado) em um acidente de carro e, então, em seu armário, há um bilhete com a mensagem: “de nada”. A mente da menina começa a ficar atordoada. O que queriam dizer com aquilo? Será que sabiam do seu segredo? Alguém matou o seu namorado?

A história começa a valer a pena… As páginas se fazem ler rápidas e o leitor não quer, de forma alguma, perder o fio da meada. Não podemos ficar afastados, por muito tempo, do livro para que as conexões continuem fazendo sentido. Quando menos esperamos, mais uma pessoa é assassinada… E, por intermédio do destino (talvez), a pobre Sawyer está lá novamente. Rodeada pela sua melhor amiga (que não a deixa na mão por nada), um garoto que está apaixonado por ela, uma ex-amiga (também ex-namorada do seu namorado morto), dois policiais, seu pai e a madrasta (grávida) do seu pai, Sawyer começa a perceber que precisa, realmente, tomar a sua medicação e voltar a ver o seu médico.

DSC01077

No decorrer da trama, peguei-me pensando em soltar muxoxos e fazer cara feia para a obra. Será? Será que, realmente, eu já estava adivinhando o final antes de chegar na metade do livro? Ahhhhhh… Nãoooooo… Eu não queria estar certo. Se estivesse, a história seria uma porcaria. Mais do mesmo. Porém, depois de mais alguns acontecimentos, a história foi tomando outro rumo. Mais alguém morreu… Mais uma vez, Sawyer estava com medo. Quem estaria matando aquelas pessoas? Por que estaria matando aquelas pessoas?

Sawyer Dodd, pequena garota infeliz, está atrás de quem está fazendo da sua vida um filme de drama muito bem elaborado. A sua perspicácia faz com que chegue à conclusão que não parecerá óbvia pro leitor. De maneira inteligente, descobrimos o que está acontecendo. Os segredos vêm à tona. A garotinha assustada percebe que mais pessoas sabem sobre a sua verdade (mesmo que ela não a tenha contado a ninguém). Então… Quem está cometendo esses crimes tenta proteger ou destruir Sawyer Dodd?

DSC01079
Somente quem chegar ao final da história saberá… Da minha boca… ou melhor… Dos meus dedos, vocês não obterão esta resposta.

DSC01080
Edição: 1 | Editora: Companhia Editora Nacional | ISBN: 9788504018523 | Ano: 2014 | Páginas: 264

post
Baci! ;*
Aproveite para nos seguir nas redes sociais!
Facebook Instagram Twitter Tumblr Google +

About Author

Criadora do @pausaparaumcafe, social media, formada em marketing, rata de biblioteca, intolerante à lactose e a pessoas de mau humor.

No Comments

    Leave a Reply

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.