8

Results

Tag

survival horror

Resident Evil 2 e a lenda do remake perfeito
Resident Evil 2 e a lenda do remake perfeito

Um desses dias fatídicos eu li no site VG24/7 um artigo sobre se a Square Enix deveria mesmo fazer um remake de Final Fantasy VII, isso devido a fortes rumores de que eles estavam trabalhando nisso. Nós já falamos sobre remakes aqui no Pausa, mas aproveitei essa ideia para voltar ao tópico e falar sobre um game específico, que esta no fundo do meu coração: Resident Evil 2. Desde o lançamento de Resident Evil Remake pra Gamecube, fãs de todo mundo (pode me incluir nessa) estão clamando para que a Capcom dê esse tipo de tratamento para o segundo episódio na sua clássica franquia de bioterrorismo. Colocando as adorações pelo jogo de lado, seria sábio refazer Resident Evil 2?

Acredito que a grande maioria de vocês conhece a situação atual da Capcom. Apelidada carinhosamente de CRAPcom, a empresa nipônica tem decepcionado fortemente seus consumidores, colocando excessivas DLC’s em seus jogos, algumas das quais já vinham em discos e você deveria pagar para liberá-las, ignorando boas franquias como Megaman e arruinando as franquias que estão vivas, como é o caso do próprio Resident Evil, com os medíocres Operation Raccoon City e o sexto episódio do cânone oficial.

Como uma empresa dessas pode refazer um clássico tão maior que ela mesma? No artigo sobre Final Fantasy, o escritor aponta o fator egoísmo como uma das razões de ele não querer ver este remake acontecer, é um bom ponto a se pensar. Tenho boas memórias de Resident Evil 2, as melhores da época do PS1. Não tenho noção de quantas vezes terminei esse jogo e, até hoje, ainda tomo sustos em alguns momentos. Foi nesse título que Shinji Mikami introduziu dois dos melhores personagens da franquia, um enredo realmente intrigante, uma aventura que não era nem exageradamente grande e nem ridiculamente pequena, a mistura perfeita de ação e terror.

Tendo em vista como Resident Evil 2 engrandeceu o gênero survival horror, o medo de que a Capcom suje o nome de um dos meus jogos mais queridos desde sempre é um fator que pesa para que eu não queira ver esse remake acontecer. É uma certeza grande de que a Capcom não saberia lidar com essa pressão de proporções universais, seria como a Konami querer um remake de Silent Hill 2. MAS, e coloque um grande mas nisso, um remake descente seria possível, em teoria.

...

A importância do survival horror
A importância do survival horror

Acredito que deixei bem claro no passado meu amor pelo survival horror e as razões disso, mas hoje pretendo discutir outro aspecto desse gênero. Mesmo sendo aterrorizante e não amigável com o jogador, o gênero em questão é importante num sentido fundamental para seu público alvo, e talvez até para o resto do público, e eu vou explicar a razão.

Em primeiro lugar, é necessário diferenciar SURVIVAL horror de ACTION horror. Veja que a própria essência de sobreviver é combater as circunstâncias não favoráveis a você e sair vitorioso, apenas para enfrentar outras circunstâncias, talvez ainda mais perigosas, mais tarde. Nos jogos de terror, essas circunstâncias são, geralmente, inabilidade parcial ou total de se defender contra um perigo que é claramente mais forte que você, isolamento parcial ou quase total de outros jogadores ou NPC’s para te dar apoio, ambientação opressora, lhe fazendo duvidar até mesmo de sua própria sombra, etc. Um jogo de terror que contém o elemento de sobrevivência bem destacado, citando exemplos como Fatal Frame, Outlast ou Amnesia, são os jogos que brincam com a sanidade do jogador, entram fundo em sua mente para confundi-la com ansiedade e insegurança.

...