Menu
Literatura Nacional

[TrolandoD20em20] Sessões de Tormenta

Como eu comecei a jogar RPG com 3D&T, Tormenta foi certamente o primeiro cenário com que tive contato. Tanto com o Livro do Mestre quanto o Manual do Aventureiro de um amigo, foi assim que acabei conhecendo as bases de Tormenta. Logo em seguida, adquiri por conta própria aquele suplemento “Só Aventuras”, o volume 2, que continha as aventuras “Dado Selvagem”, “Aliança Negra”, “Holy Avenger” e “O Legado de Saliz’zar”. Foi aí que comecei a pegar as manhas no cenário. Logo depois, adquiri um suplemento básico de Tormenta mesmo, que ia até a invasão de Trebuck. Aí comecei a me tornar um especialista no assunto. Manjava absolutamente tudo – muito porque o cenário ficou muito tempo estagnado nesse ponto, então não tinha lá o que aprender.  

Ao longo do tempo, também adquiri o volume 1 de “Só Aventuras”, um “Manual do Aventureiro” só para mim e besteirinhas a mais. Como eu era moleque, com uns doze, treze anos, achava tudo aquilo genial. Pouco tempo depois, chegou a Dragon Slayer e eu detonei tudo. Achei foda a inclusão de Moreania, as Guerras Táuricas e uma bordoada de conteúdo foda.

De certo modo, eu decorei o suplemento de Tormenta, aquele com a Lady Shivara na capa. Na medida em que ia lendo a Dragon Slayer, iam adicionando conteúdo, mas, notei um defeito. Eu me perguntava onde estavam as personalidades que apareciam naquele livro. Raven Blackmoon, Lady Shivara, Andros, Dee e vários outros. Eram personagens excelentes, mas onde estariam?

b

Até aí, eu concordo que eles são personagens que podem ser explorados tranquilamente pelo mestre de jogo. Que estão lá e não vão fugir.

Mas se é assim, por que havia conteúdo sobre o Mestre Arsenal edição sim, edição não? Por que ficavam cutucando o defunto da Niele? Ela já não havia morrido? Mesmo o material novo como o de Moreania, que era tão bacana, acabou sendo esquecido em prol de Mestre Arsenal e derivados. O Cenário evoluía, mas ao mesmo tempo, ficava estagnado.

Eu sei que decidiram matar o Arsenal justamente para acabar com isso. Não, eu ainda nem folheei a aventura “Contra Arsenal” para ter certeza do que eu falei na oração anterior (só tinha escutado sobre o assunto).

Tá um texto meio vago, mas o que eu quero colocar aqui é: Como diabos eles conseguem ser tão desorganizados com um cenário tão foda? É complicado organizar o cenário, fazer um levantamento bacana e analisar do que Tormenta realmente já tem e o que realmente precisa?

Ao mesmo tempo em que o cenário evolui, ele permanece estagnado. Vou abrir o jogo. Depois de a Dragon Slayer ser cancelada, nunca mais fui verificar quaisquer mudanças pelas quais tenham passado o cenário. O único catálogo de conteúdo é o site da Jambô, onde tanto o Portal quanto o Fórum são uma zona só. (O fórum, aliás, é uma merda sem tamanho).

c

Acho que é a sina de Tormenta. Permanecer desorganizada. O cenário surgiu como uma tentativa de organizar a desordem de conteúdo que era a Dragão Brasil. Ironicamente, tornou-se maior do que se imaginava. E o crescimento fugiu do controle. Enquanto os responsáveis decidem ficar fazendo eventos e eventos novos, abrindo novas ramificações, personagens e acontecimentos que poderiam ganhar conteúdo novo são deixados no sótão. O mestre pode trabalhar com eles, claro, mas o desenvolver da cronologia desses cenários é quase como um folhetim que você acompanha. Você conhece novos personagens, quer vê-los desenvolvidos. Quer sequências de sagas antigas. Quer melhor desenvolvimento de expansões como a dos Reinos de Moreania.

Acho que é isso que eles chamam de desgaste. Moreania estava indo para o caminho certo de revitalizar o cenário, mas acabaram jogando tudo para o alto e voltaram a trabalhar com Arton. Ou melhor, voltaram a trabalhar com Arsenal.

Para consertar o cenário, eu iria sugerir uma passada de pente fino em todo o material já publicado. Desse pente fino, deveriam abrir um site oficial que retrate toda a cronologia em detalhes, como uma enciclopédia. Digo isso porque ficar caçando material pedaço por pedaço para ter noção do que acontece em cada ponto cardeal do cenário em infinitos momentos temporais é uma merda que só comprova a desorganização que é o cenário. Além disso, o site ser separado de todo conteúdo da Jambô. Claro, o cenário DEVE pertencer à editora, mas, por favor, eu não quero entrar num site e ter que cavocar material de Tormenta em meio a outros infinitos cenários. Feito isso, em vez de deixar a evolução do cenário na mão de três neguinhos (ou seriam seis?), o certo seria dividir os diversos aspectos dele e delega-los a um número de escritores contratados para que eles possam se melhor organizar. Dessa forma, todos os pontos seriam trabalhados de maneira igualitária.

d

Outra solução seria resolver da mesma forma que a DC se resolveu: Fazendo um Reboot geral e trabalhando tudo do zero.

Tormenta é resultado de uma péssima administração. Quando comecei a escrever o texto, tinha uma linha de pensamento de como ele seria desenvolvido totalmente diferente, mas fazendo uma análise, eu só lamento tudo o que ocorreu desde então. Isso é triste, porque universos maiores, sejam eles de RPG mesmo como Forgotten Realms ou ainda cenários crossmidiáticos como Star Wars e Senhor dos Anéis, conseguem ter uma organização melhor. Os universos da Marvel e da DC que são uma zona só, já que recontam material desde a primeira metade do século XX acabaram se organizando de uma forma ou outra.

Sei que o texto não ficou lá um primor. Acabei nem revisando. Mas acredito que ele seja apenas resultado de minha insatisfação e mágoa diante de tanto caos que se instaurou no cenário.

Em algum lugar, Nimb sorri.

ESSE POST FOI ESCRITO PELO COLUNISTA CREISSONINO

4 Comments

  • Fred
    4 de março de 2014 at 10:56

    Nâo sei se Arton está tão desorganizado assim não.

    Você já leu “O Reinado”? Antes, O Reinado era dividido em 3 volumes, cada um responsável por uma região, as poucas regras eram no seu amado sistema 3d&t. Confira nesse link o antigão, foi o que eu estudei:

    http://tavernadominotauro.blogspot.com.br/2010/03/o-reinado-tormenta.html

    Existem muitas histórias interessantes publicadas na extinta revista Tormenta:

    http://tavernadoelfo.blogspot.com.br/2011/11/revista-tormenta-02.html

    Recentemente, eles relançaram os três livros em um só. Regras no sistema d20, história atualizada, bonitão: (Poderoso Hyninn, me ajude esconder esse link da Anna:)

    http://tavernadoelfo.blogspot.com.br/2010/03/suplemento-reinado-d20.html

    Raven Blackmoon? Acho que está dando aula na academia arcana… ainda. Andros e Dee podem estar em qualquer lugar, depende do seu mestre. E se você não souber onde Lady Shivara está, merece dar um rolé um uma área de tormenta.

    Mas eu retiro o que eu disse e concordo com você, Tormenta é um cenário que está um pouco desorganizado. Isso acontece porque ele evoluiu muito nos últimos anos. Tem a trilogia, escrita pelo gênio Leonel Caldela, que na minha opinião não paga pau para as crônicas de gelo e fogo ou o senhor dos anéis. Recomendo demais, a trilogia tormenta é uma ótima história (mas fica melhor se você tiver lido O Reinado). Segue link da resenha:

    http://www.areadetormenta.com.br/2011/09/18/resenha-o-inimigo-do-mundo/

    E por fim, as guerras táuricas, mudou muita coisa, seria bom dar pelo menos uma folheada.

    Conclusão
    O cenário de tormenta existe, é muito interessante e não aparece nem 1% na dragão brasil/Dragonslayer. Ele está no livro “O Reinado”. Mas mesmo depois de conhecer os reinos você ainda não vai estar atualizado com a história. Seria importante ler os livros da trilogia: O Inimigo do mundo, O Crânio e o Corvo e O Terceiro Deus. Por fim, ler as guerras táuricas, que eu particularmente não gostei, mas paciência né.

    Falou

    Ps: Os minotauros cercaram a cidade de Valkaria e o Rei-Thormy se entregou como refém para que poupassem os cidadãos. Hoje, quem controla (o que sobrou) do reinado é sua amada, Huahauahua, Shivara Sharpblade!

    Dei o spoiler mesmo, foda-se!

    Reply
    • Creissonino
      6 de março de 2014 at 22:53

      Você leu o meu texto ou parou no meio? Eu li tudo isso, cheguei até a questão das Guerras Táuricas e tudo mais. Ainda assim, todo o conteúdo variado não é 1/5 perto da lambança que faziam com o Mestre Arsenal. E você repetiu exatamente o que eu falei. Todos os personagens estão lá à disposição do mestre, mas bem que podia rolar um desenvolvimento, já que eles existem.

      A verdade é que está uma zona sim. Tá igual a Lost, com 30 plots e nenhum que consegue se fechar devidamente, tudo porque nego não sabe administrar tudo sozinho e não querem dividir os pedaços de bolo.

      Querer tentar me ensinar sobre Tormenta como se eu fosse leigo é foda. Só rio.

      Reply
    • Tingle
      12 de março de 2014 at 13:24

      HAUHAUAHA Maluco não entendeu a ironia do texto.

      Reply
  • Rafaela Ivo
    23 de abril de 2014 at 15:10

    Li o texto e concordo. Nas minhas últimas partidas de RPG usando o cenário de Tormenta, uso a mesma história que ficou quando a Dragon Slayer fechou, e aí o mestre vai criando a sua história, decidindo o que vai fazer com os personagens da Tormenta.

    Mas enfim, muito bom o texto, é legal ver gente falando sobre Tormenta, é um dos backgrounds que eu mais gosto 🙂 Não jogo D&D, sou dessas que ficou estagnada no 3D&T por uma série de motivos: ninguém nunca pilhava em aprender um sistema novo, jogar D&D pela internet não é legal, e sempre ficava a dúvida de quem ia ser o mestre.

    Enquanto não acho uma turma legal pra jogar, fico no 3D&T, que mesmo simples, ainda consegue me divertir! Haha

    Reply

Deixe uma resposta para Tingle Cancel Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.