[Resenha] Thermae Romae #4 #5 de Mari Yamazaki | @editorajbc

[Resenha] Thermae Romae #4 #5 de Mari Yamazaki | @editorajbc

Sinopse Thermae Romae #4: O sucessor do trono de Adriano e seu filho adotivo, Élio César retorna de Panônia com a saúde completamente debilitada! Diante da situação delicada, o nosso arquiteto convida o Imperador para um banho juntos e, lá, Adriano faz uma proposta de incumbir a Lucius uma tarefa importantíssima! Entretanto, quando o arquiteto estava decidido a aceitar a proposta – para variar – ele fez a viagem para o Japão! O problema é que, dessa vez, ele não consegue retornar a Roma de jeito nenhum, fazendo a estadia mais longa de todas, com direito até a um trabalho em uma hospedaria em Ito!

——-

Sinopse Thermae Romae #5: O nosso arquiteto viajante do tempo não consegue mais viajar de volta para a Roma e está há semanas na cidade balneária de Ito! Lá, está trabalhando duro e estudando tudo que pode sobre as termas japonesas! O nosso herói parece estar se virando bem, mas quem está encrencada é a Satsuki, a deusa Diana japonesa!
Parece que um grupo de marginais andam infernizando a vida dos moradores da cidade, inclusive o dela e da hospedaria que Lucius trabalha! O bravo arquiteto se voluntaria para espantar os malfeitores, acreditando que essa é a missão para poder voltar à Roma, mas a tarefa não será tão fácil quanto parece…!

“É Hora do Banho” – Sempre é hora do Banho em Thermae Romae!

IMG_3248

Hoje nós vamos falar sobre algo que era bom, podia ser fantástico e se transformou em algo incrível! Com vocês, a resenha de Thermae Romae #4 e #5 de Mari Yamazaki, publicado no Brasil pela Editora JBC!

IMG_3242

Eu já resenhei o volume #1, #2 e #3 aqui no blog ~clique nos números para conferir as resenhas e seja feliz!~. Vocês podem perceber que eu gostei muito dos primeiros volumes e estava super ansiosa para saber onde Lucius iria chegar durante a sua história.

Durante o quarto volume da “saga” de Lucius ainda temos um pouco mais do mesmo, nosso arquiteto preferido embarca mais uma vez em uma jornada. Só que dessa vez ela não encontra um fim. Ele não consegue voltar para sua amada Roma e preso no Japão acaba tendo uma vida paralela, trabalhando em uma casa de banho e tendo uma vida em algumas partes até bem comum.

E em todo o seu lado comum que poderia ser chato, Thermae Romae coloca itens pequenos que fazem a história ter todo um charme especial e engraçado. Seja começando a construir um romance que pode ser incrível ou colocando uma égua que dá um “tchã” em toda  a história.

IMG_3243

O quarto volume é uma construção para os grandes momentos que Mari Yamazaki preparou para nosso coração no volume #5. Um mangá cheio de sensações diferentes e com um final que me deixou com meu coração na mão, deixando o fechamento desse “arco” de acontecimentos no japão com chave de ouro!

No volume #5 aprendemos muito mais sobre o sentido de Lucius só voltar para casa ~Roma~ quando aprende algo novo no Japão. Depois de nos apresentar personagens novos no volume #4, Mari agora, os constrói e solidifica suas personalidades . E isso minha gente, é lindo!

Pode parecer elogios demais, mas para mim a história até podia ter acabado aqui. Eu não me sentiria traída. Gostaria de um final “em branco” e sugestivo como esse. Mas… para alegria geral da nação a JBC logo publicará o volume #6, o qual finaliza a história de Lucius.

A arte de Mari continua incrível. Rica em detalhes e aproveitando as feições dos personagens mesclando o estilo oriental e ocidental para criar seus personagens. Eu amei e mais do que indico. São apenas seis mangás, o que você está esperando?

Ah… pode ficar tranquilo que o nível de surrealismo continua. (y).

Ps: Obrigada mamãe pela ajuda nas fotos <3 

IMG_3252

IMG_3251

IMG_3250

IMG_3249

IMG_3247

IMG_3245

IMG_3244

IMG_3255

IMG_3253

Nº Total de Edições: 06 volumes | Formato: 13,5 x 20,5 cm | Páginas: cerca de 190 + 1 colorida | Preço: R$ 19,90 | Classificação etária: 16 anos

Comprar:  #4 – Saraiva | #5 – Magic House

Nota: 5/5

Mari Yamazaki nasceu em 1967, em Tóquio, e teve uma vida muito agitada até hoje. Filha de pais músicos, com 14 anos viajou sozinha pela Europa e, aos 17 anos, foi sozinha à Firenze/Itália para estudar artes, mas por não ter dinheiro e passar fome, começou a fazer mangás com intuito de conseguir dinheiro com prêmios.
Morou 11 anos na Itália e depois foi viajar, sendo voluntária em Cuba, passando pelo Oriente Médio, Portugal e vários outros países. Quando retornou ao Japão, em 1996, passou por trabalhos um tanto peculiares: participação de programas de TV sobre culinária italiana e turismo em Hokkaido; repórter de termas naturais; personalidade de rádio entre outras. Além de tudo isso ela ainda teve um filho solteira, se casou com um italiano bem mais novo, cuja família ela conheceu na primeira vez que foi para a Itália. Atualmente está morando em Chicago/EUA com o filho e o marido, que é pesquisador na área de Letras Comparadas.

post

Anna Schermak
Anna Schermak

Criadora do @pausaparaumcafe, social media, formada em marketing, rata de biblioteca, intolerante à lactose e a pessoas de mau humor.

6 comments

Leave a comment
  1. Leonardo Camargo

    6 de março de 2014 at 23:12

    Thermae Romae SÓ MELHORA. É incrível. Ele fica um bom tempo fazendo o padrão, que já é ótimo. Mas a partir do volume 4 começa esse arco do Lucius na terma japonesa, e fica MUITO melhor.
    Ele consegue ser simples, sem muito fru-fru nem muita complexidade, e entregar comédia e “cultura” de qualidade com simplicidade e leveza.
    Amo esse mangá. Um dos meus xodós na editora. ^^

    • Anna Schermak

      7 de março de 2014 at 08:35

      Leo! Não tem como ignorar a beleza de Thermae Romae, ele conquista até os que não curtem mangás. Minha mãe achou lindo quando viu e estava ajudando nas fotos 😉

      Abração!

  2. Gui Souza

    8 de março de 2014 at 00:52

    Hehehe veja que distraído: comecei a ler, fiquei meio perdido e só depois que você falou das resenhas anteriores é que me toquei que esta não era sobre o início da série! XD

    Mesmo assim, fiquei bem curioso para acompanhar a saga. Romanos, japoneses, arquitetura e banhos… Uma mistura especialmente inusitada – e sua resenha me deixou bom bastante vontade de ler!

    :*

  3. Nicolas Ueda

    16 de março de 2014 at 08:57

    Caramba, podiam fazer um mangá contando a vida da autora, ia dar uma obra surreal, eu acho…

    Eu sou meio chato pra começar a ler mangás, sou mais acostumado com os animes. Os poucos que li foram porque me causaram um maior interesse em fatores como uma arte diferenciada, fora do padrão mangá, uma história mais desenvolvida e interessante, e também original.

    Mas essa obra realmente me causou interesse. Quem sabe eu consiga conferir ela alguma hora. 🙂

    • Anna Schermak

      17 de março de 2014 at 09:01

      A autora está fazendo um spin off sobre o CAVALO que aparece na série. ELA PRECISA FAZER UM MANGÁ BIOGRAFIA!!! hehehe

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.