Acompanhe no youtube
inscreva-se
Vamos falar sobre suicídio com o livro “Por Lugares Incríveis” da Jennifer Niven

Vamos falar sobre suicídio com o livro “Por Lugares Incríveis” da Jennifer Niven

Vamos falar sobre suicídio com o livro “Por Lugares Incríveis” da Jennifer Niven

Outro dia eu estava lendo a coluna da Socorro Acioli em um jornal da minha cidade sobre como havia sido a sua experiência de conhecer as autoras Jennifer Niven e Ava Dellaira em sua vinda a Fortaleza. No seu texto ela falou como foi bonito ver a determinação dos fãs em conseguir o tão sonhado autografo das escritoras e como ficou maravilhada com o debate sobre os temas que norteiam as histórias dos livros delas.

Edição Brasileira

Em vista disso e inspirada pela campanha Setembro Amarelo*,ela levantou questões de como há uma certa banalização por parte dos jovens com relação ao suicídio e uma ridicularização da vida como se a morte fosse reversível. Há sites na internet onde pessoas “planejam o evento” procurando a melhor maneira de fazer e até escolhem música.

Assim como ela, acho o fato é preocupante e me assusta muito pensar em como tirar a própria vida é um pensamento que passa pela mente de milhares de pessoas, eu mesma conheço algumas que cultuam esse fascínio pelo suicídio.

Mas ao contrário do que muitos pensam, depressão não é frescura. Há inúmeros fatores que contribuem para isso – bullying, desestruturação familiar, perda de pessoa ou coisas, falta de orientação, distúrbios mentais, etc.- E é disso que o livro Por Lugares Incríveis da Jennifer Niven fala com tanta precisão.

Eu o li na época de seu lançamento, em 2015, e comprei quase que exclusivamente pela capa que me remeteu a uma nostalgia gostosa. Houve muito burburinho afirmando que depois da leitura é difícil falar dele, pois é tão maravilhoso que não há como explica-lo.

Fiquei com o pé atrás devido a isso mas resolvi dá uma chance e para minha surpresa o sentimento não foi diferente do que já haviam dito.

Fonte: readthinkponder.files.wordpress.com

No início ache um certo exagero propagado em torno desse livro, pois os personagens são comuns, a ambientação da história beira o clichê e a ela se compõe com característica já vistas em obras do mesmo gênero. Mas o que há de tão especial nele, afinal?!

É exatamente a sutileza e a maneira que Jennifer se utiliza do “comum” da história bobinha entre a pobre-menina-rica e o garoto esquisito. Esse encontro entre duas pessoas totalmente diferentes compartilhando da mesma agonia acaba por evidenciar suas semelhanças, que faz a história ser facilmente visualizada em um contexto real.

Jennifer enfatiza que o fator psicológico dos personagens, enquanto jovens que ainda estão em formação de caráter, a percepção de como a vida social e virtual, a influência de pessoas e lugares podem contribuir positiva ou negativamente nas vida de crianças e adolescentes.

Toda a melancolia do enredo, a visão do Finch e da Violet sobre suas vidas e o que isso acarreta no cotidiano deles, trazem à tona, tanto para os personagens quanto para o leitor, reflexões perturbadoras acerca desses conflitos. A carga dramática dos personagens sobretudo o Finch, a maneira dele de lidar com a depressão e de como ele conhece essa condição é estarrecedora e fazem do livro “isso tudo mesmo que dizem”.

Eu acredito que livros que falam de suicídio, bullying, sexualidade, internet, relacionamento entre pais e filhos devem ter um cuidado especial ao repassar a mensagem. Jennifer consegue manter a fluidez na narrativa mesmo colocando em pauta assuntos tão complexos e sem romantizar a depressão, abordando-a de forma direta. E essa singularidade contida na história é exemplo da experiência da autora com um namorado que tirou a própria vida.

Em Por Lugares Incríveis por mais que se fale da morte como tema central, percebemos a importância da vida e de como ela pode ser boa se trabalharmos a empatia e procuramos compreendermos uns aos outros. E abriu meus olhos para o fato de que falhamos como seres humanos ao não pensarmos no outro com sensibilidade, pois acreditamos que as diferenças são barreiras e não oportunidades.


Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, com o objetivo direto de alertar a população a respeito da realidade do suicídio no Brasil e no mundo e suas formas de prevenção. Ocorre no mês de setembro, desde 2014, por meio de identificação de locais públicos e particulares com a cor amarela e ampla divulgação de informações. Mais: http://www.setembroamarelo.org.br/


Fonte imagem de capa: http://joyousreads.net/

ISBN-13: 9788565765572 | ISBN-10: 8565765571 | Ano: 2015 | Páginas: 336 | Editora: Seguinte

Jhennifer Niven : É autora de quatro romances para adultos – American Blonde, Becoming Clementine, Velva Jean Learns to Fly e Velva Jean Learns to Drive -, três livros de não ficção – The Ice Master, Ada Blackjack e The Aqua Net Diaries – um livro de memórias sobre suas experiências no ensino médio. Apesar de ter sido criada em Indiana, hoje vive com o noivo e três gatos em Los Angeles, seu lugar preferido para andanças. Seu sucesso recente é o livro YA Por Lugares Incríveis, publicado pela Companhia das Letras, pelo selo da Seguinte. Ele terá sua adaptação para o cinema a partir de março/2016 e será lançado em 2017. Em 2016, a autora também lança seu segundo livro YA. Para mais informações, acesse o site oficial, ou encontre-a no Facebook.

CLIQUE AQUI PARA COMPRAR 

Baci ;*

Aproveite para nos seguir nas redes sociais!

Facebook ☁ Instagram ☁ Twitter ☁ Tumblr ☁ Google +  ☁ Pinterest ☁ Youtube  Blogvin ☁ Flickr

Relacionados

1 Comment

Leave a Comment

Leave A Comment Your email address will not be published

CRÔNICAS

sonhei com você.

Acordei hoje com um sorriso amargo. Sonhar com você está sempre repleto de dualidade, ao mesmo tempo que gosto daquela sensação de proximidade, fico triste pela saudade que bate mais forte depois de uma noite inteira sonhando com você.

Read More