[Resenha] Caio 3D O Essencial da Década de 1990 | @agireditora

4 de agosto de 2012

 Caio 3D – O Essencial da Década de 1990

Editora: Agir 
ISBN:
 8522006865
Dimensão: 23 x 15,5 cm
Peso: 0,430 kg
Edição: 1ª
Ano de Lançamento: 2006
Número de páginas: 288

Compare Preços De: R$ 43,11 até: R$ 58,90

Sinopse: É o último volume do projeto Caio 3D, que organiza de forma original a obra de Caio Fernando Abreu, uma das vozes mais singulares da ficção brasileira surgida nos anos 1970. Este volume reúne o que há de melhor na obra que Caio produziu na década de 1990, além de artigos esquecidos nas mais diversas publicações em que colaborou, poemas esparsos e cartas inéditas em livro.

Resenha do livro Caio 3D – O Essencial da Década de 1990

Fui apresentada a Caio Fernando Abreu por uma amiga chamada Rafaela Gonçalvez. Lembro de ir a Biblioteca no centro da minha cidade após a faculdade e ficar perdida entre Morangos Mofados lendo contos e esquecer do tempo.

Boa época que foi marcada por muitas frases do caio que eu anotava em bloquinhos de papeis e cadernos de estatísticas para lembrar depois.
Ele sempre conseguiu mexer muito comigo. Ele é o Caio. E isso basta.

Já ouvi muita gente criticando seu modo de escrever, mas uma coisa que ninguém pode negar é que Caio escreve com a Alma.

“A vida é apenas uma ponte entre dois nadas e tenho pressa”

Eu já estava a muito tempo procurando essa edição da Agir, pois ela contém um apanhado das melhores coisas que Caio fez nessa década. Contos, Crônicas, Poesias, uma Novela, várias Cartas e ainda uma pequena Biografia.

Encontrei em um Sebo, o livro em ótimo estado, praticamente novo e custando apenas 25$. Dei pulos de alegria. Não tinha nenhum livro do Caio na estante apesar de já ter lido Morangos Mofados, Ovo Apunhalado e vários outros contos perdidos por ai.

Esse livro pode conter coisas lindas, frases essenciais para os CaioManíacos, mais o que mais me impressionou com essa leitura foram as cartas trocadas por Caio com amigos e familiares enquanto estava viajando pelo mundo e escrevendo.

“Estou feliz, em harmonia […] Não tenho tempo de morrer agora.”

Caio conta que chegava a escrever de 12/14h por dia para entregar os textos que sua editora pedia, tanto que contava com a ajuda de seu amigo Gil para fazer as “correrias” de banco e correio.

Caio manda cartas a sua mãe, a seu pai, a seus amigos, a sua irmã, a Adriana Calcanhoto. E foi em uma das cartas enviadas a ela que me deparei com um caio fofo. Um Caio que eu tive vontade de abraçar,  um Caio feliz vivendo a vida dele do jeito que gostava.

“Ando com uma felicidade doida, consciente do fugaz do frágil”

Aqui não encontrei meus contos favoritos, mais me deparei com uma coisa nova. A fé, a amizade. A pessoa Caio Fernando Abreu que eu ainda não conhecia.

Um livro que vale a pena para aqueles que já gostam do caio e gostam de ter um pouco mais dele em sua estante. SUPER RECOMENDADÍSSIMO!

Não deixem de comentar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Like
Close
Copyright © 2021 Pausa Para um Café
Made with by Loft.Ocean. All rights reserved.
Close
O espaço de trabalho de escritores famosos Livros para quem gostou de “A Filha Perdida”. QUAL MELHOR RPG DE MESA PARA INICIANTES? Autores Curitibanos para conhecer hoje Esposas de escritores que também escrevem